Comerciantes devem baixar preços pela metade

Mal começou o ano e os comerciantes do Centro de Maceió se articulam para reduzir os preços dos seus produtos em até 50%; expectativa é que as promoções atraiam um grande público no calçadão do comércio, com destaque para os ramos de roupas, móveis e eletrodomésticos; objetivo é que, até janeiro, vendas cresçam 5% a mais em relação a dezembro

Mal começou o ano e os comerciantes do Centro de Maceió se articulam para reduzir os preços dos seus produtos em até 50%; expectativa é que as promoções atraiam um grande público no calçadão do comércio, com destaque para os ramos de roupas, móveis e eletrodomésticos; objetivo é que, até janeiro, vendas cresçam 5% a mais em relação a dezembro
Mal começou o ano e os comerciantes do Centro de Maceió se articulam para reduzir os preços dos seus produtos em até 50%; expectativa é que as promoções atraiam um grande público no calçadão do comércio, com destaque para os ramos de roupas, móveis e eletrodomésticos; objetivo é que, até janeiro, vendas cresçam 5% a mais em relação a dezembro (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - Mal começou o ano e as lojas do centro de Maceió se articulam para baixar os preços dos produtos em até 50%. É o período de liquidação, que acontece na próxima sexta (6) e sábado (7), abrangendo a maior parte dos estabelecimentos comerciais e diversas mercadorias que não foram vendidas no fim de ano. 

De acordo com o presidente da Aliança Comercial, Guido Júnior, as promoções devem atrair um grande público no calçadão do comércio, com destaque para os ramos de roupas, móveis e eletrodomésticos. Além de aquecer as vendas, o objetivo do comércio é renovar o estoque, levando em conta os produtos que não saíram das lojas no Natal e Réveillon.

"Queremos intensificar as vendas e, ao final de janeiro, poder chegar ao resultado de 5% a  mais em relação a dezembro. Com as liquidações, os produtos podem ser vendidos com até cinquenta por cento de desconto. Sempre fazemos essas promoções", explicou Guido. 

No final do ano, a previsão de vagas temporárias para o comércio e varejo de Maceió era otimista em relação a 2015. A perspectiva era de cerca de 700 vagas até dezembro, 500 a mais do que no ano anterior, quando a crise econômica assolou o país, afetando o empresariado. 

De cada 10 empresas, duas fizeram contratação temporária, segundo dados apresentados pela Aliança Comercial. Do total de vagas, a perspectiva é de que 2% a 5% dos trabalhadores sejam absorvidos.

Com gazetaweb.com

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email