Comissão aprova empréstimos externos para o Piauí, Ceará e Paraná

O Ceará poderá contratar empréstimo internacional de até 57,6 milhões de euros (aproximadamente R$ 230,9 milhões); o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), defendeu a aprovação da proposta e destacou a capacidade financeira do Estado do Ceará, permitindo que a operação seja contratada sem garantia da União

O Ceará poderá contratar empréstimo internacional de até 57,6 milhões de euros (aproximadamente R$ 230,9 milhões); o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), defendeu a aprovação da proposta e destacou a capacidade financeira do Estado do Ceará, permitindo que a operação seja contratada sem garantia da União
O Ceará poderá contratar empréstimo internacional de até 57,6 milhões de euros (aproximadamente R$ 230,9 milhões); o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), defendeu a aprovação da proposta e destacou a capacidade financeira do Estado do Ceará, permitindo que a operação seja contratada sem garantia da União (Foto: Fatima 247)

Ceará 247 - A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, ontem (12), cinco operações de crédito externo para os estados do Piauí, Ceará e Paraná. O Ceará poderá fazer uma operação de crédito no valor de até 57,6. Esse valor será destinado à aquisição de novos equipamentos e assegurar o aperfeiçoamento da infraestrutura tecnológica em áreas como educação superior, segurança pública, finanças públicas e meio ambiente. O investimento foi aprovado pelo Senado, nesta terça-feira (12/4), e a operação de crédito será entre o governo do Estado e a empresa alemã MLW Internet Handels. A operação vai garantir a implementação da segunda fase do Projeto de Modernização Tecnológica do Estado do Ceará (Promotec II). O programa tem objetivo de garantir a sustentabilidade do processo de planejamento estadual.

O líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), defendeu a aprovação da proposta e destacou a capacidade financeira do Estado, permitindo que a operação seja contratada sem garantia da União. “As garantias serão prestadas pelo próprio Tesouro do estado, já que o Ceará apresenta reduzido nível de endividamento, diferente da maioria dos estados brasileiros que não apresentam essas condições”, disse.

Segundo o senador Pimentel esta operação vai permitir que o estado avance na implementação de uma nova fase do projeto de modernização tecnológica. “Desde os anos de 1990, o Ceará tem feito um esforço muito forte para investir em novas tecnologias. Criamos o cinturão digital, que teve continuidade nos últimos anos. E, agora, a finalidade é investir em áreas prioritárias como educação e segurança”, considerou.

A operação vai garantir a implementação da segunda fase do Projeto de Modernização Tecnológica do Estado do Ceará (Promotec II). O programa tem objetivo de garantir a sustentabilidade do processo de planejamento estadual.

Além dos 57,6 milhões de euros, o governo estadual aplicará recursos próprios equivalentes a 48 milhões de euros (aproximadamente R$ 192,4 milhões). O dinheiro será usado em equipamentos de tecnologia e inovação.

 

 

 

Marcello Antunes

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247