Conciliação fiscal: Renan tem encontro com ministro

Reunião entre o governador Renan Filho (PMDB) e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, servirá para ser discutida a conciliação fiscal entre o Estado de Alagoas e a União, no que diz respeito a dívida pública; “Precisamos de autonomia e também vou abordar essa questão com o ministro Fux. Se a União tem autonomia para enfrentar seus problemas, definindo uma nova política monetária e fiscal, por exemplo, os Estados também deveriam poder”, defendeu Renan Filho; outros Estados também participarão do encontro

Reunião entre o governador Renan Filho (PMDB) e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, servirá para ser discutida a conciliação fiscal entre o Estado de Alagoas e a União, no que diz respeito a dívida pública; “Precisamos de autonomia e também vou abordar essa questão com o ministro Fux. Se a União tem autonomia para enfrentar seus problemas, definindo uma nova política monetária e fiscal, por exemplo, os Estados também deveriam poder”, defendeu Renan Filho; outros Estados também participarão do encontro
Reunião entre o governador Renan Filho (PMDB) e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, servirá para ser discutida a conciliação fiscal entre o Estado de Alagoas e a União, no que diz respeito a dívida pública; “Precisamos de autonomia e também vou abordar essa questão com o ministro Fux. Se a União tem autonomia para enfrentar seus problemas, definindo uma nova política monetária e fiscal, por exemplo, os Estados também deveriam poder”, defendeu Renan Filho; outros Estados também participarão do encontro (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Maria Barreiros/agenciaalagoas - O governador Renan Filho tem agenda em Brasília esta semana. O destaque da viagem é a reunião com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Eles discutirão a conciliação fiscal entre Estado de Alagoas e União, no que diz respeito a dívida pública. Outros Estados da Federação também participarão do encontro. Uma conciliação fiscal permite uma renegociação de débitos. A dívida de Alagoas alcança pouco mais de R$ 8 bilhões. Encontro com ministro Luiz Fux acontece às 11h, na capital federal.

Segundo o chefe do Executivo alagoano, Alagoas vem cumprindo seu papel de diminuir gastos, discutindo problemas históricos e garantindo pagamento do funcionalismo em dia e investimentos em áreas prioritárias. No entanto, é necessário autonomia para administrar.

"Ainda não podemos comemorar, porque foi uma decisão de caráter liminar. Mas a forma de cobrança da dívida de Alagoas poderá ser mudada, o que resultaria em uma folga de R$ 50 milhões por mês ao tesouro estadual. Precisamos de autonomia e também vou abordar essa questão com o ministro Fux. Se a União tem autonomia para enfrentar seus problemas, definindo uma nova política monetária e fiscal, por exemplo, os Estados também deveriam poder", comentou Renan Filho.

O governador esclareceu ainda, que Estados desenvolvidos e de grande porte, como o Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, não estão conseguindo pagar os salários do funcionalismo público porque a União bloqueia os recursos.

"Se o Estado não paga a dívida à União, no final do mês, a verba é bloqueada no dia 10 do mês seguinte, e o resultado é falhar com a população", explicou Renan Filho.

Ele finaliza relembrando que Alagoas, um Estado pequeno, vem enfrentando os problemas com medidas de prevenção e cortes para não falhar com a população.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247