Conselho aumenta em 11,11% passagem de ônibus em Maceió

Por oito votos favoráveis e apenas um contrário, o Conselho Municipal de Trânsito bateu o martelo e decidiu que a passagem de ônibus deve subir para R$ 3,50 em Maceió; reajuste é de 11,11% em relação ao preço atual (R$ 3,15); apesar da deliberação, o novo valor, para ser implantado, ainda precisa do crivo do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB)

Por oito votos favoráveis e apenas um contrário, o Conselho Municipal de Trânsito bateu o martelo e decidiu que a passagem de ônibus deve subir para R$ 3,50 em Maceió; reajuste é de 11,11% em relação ao preço atual (R$ 3,15); apesar da deliberação, o novo valor, para ser implantado, ainda precisa do crivo do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB)
Por oito votos favoráveis e apenas um contrário, o Conselho Municipal de Trânsito bateu o martelo e decidiu que a passagem de ônibus deve subir para R$ 3,50 em Maceió; reajuste é de 11,11% em relação ao preço atual (R$ 3,15); apesar da deliberação, o novo valor, para ser implantado, ainda precisa do crivo do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Por oito votos favoráveis e apenas um contrário, o Conselho Municipal de Trânsito bateu o martelo e decidiu que a passagem de ônibus deve subir para R$ 3,50 em Maceió. O reajuste é de 11,11% em relação ao preço atual (R$ 3,15). 

A decisão foi tomada na manhã desta quinta-feira (23), em reunião do colegiado, no auditório da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT).

Apesar da deliberação, o novo valor, para ser implantado, ainda precisa do crivo do prefeito de Maceió, Rui Palmeira. O chefe do Executivo pode acatar a sugestão do Conselho de Trânsito ou mudá-la, se assim julgar necessário.

No começo da reunião, representantes da SMTT defenderam e apresentaram valor da tarifa em R$ 3,31, mas voltaram atrás após considerarem a queda de 6% no número de passageiros. Os empresários, no entanto, sustentavam que o bilhete custasse R$ 3,74 aos usuários de Maceió. O meio termo foi R$ 3,50, que acabou sendo aprovado pela ampla maioria dos conselheiros.

Segundo a assessora técnica da SMTT Paula Isanelle, de 2015 para 2016 o número de passageiros caiu e justificou a queda à integração temporal, já que apenas 0,5% do total de passageiros utiliza o serviço.

A técnica também garantiu que, vendo essa situação, a superintendência buscou medidas para cortar custos, reduzindo, por exemplo, em 850 mil a quilometragem rodada pelos ônibus, o que gerou economia de R$ 2 milhões em diesel, combustível utilizado pelo transporte coletivo da capital.

"Desde o início, a prefeitura não concordo com R$ 3,74. Nós apresentamos um estudo para o equilíbrio financeiro do sistema integrado e temos a certeza de que essa proposta de R$ 3,50 é benéfica aos usuários e atende às necessidades do sistema. O percentual de reajuste é um dos menores do país", disse o superintendente da SMTT, Antônio Moura. 

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247