Conselho de Medicina investiga vazamento de exames de Marisa Letícia

Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) iniciou uma investigação para apurar o vazamento de imagens dos exames realizados na ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, internada após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC); Segundo o Cremesp, um dos objetivos da sindicância é averiguar se houve participação de médicos no vazamento. "A apuração pode apontar se a divulgação de dados clínicos teve a participação de médicos ou se era do conhecimento da diretoria técnica ou clínica da instituição", diz o conselho; imagens corresponderiam às da tomografia à qual Marisa foi submetida no hospital Assunção, em São Bernardo do Campo, onde recebeu o primeiro atendimento antes de ser transferida para o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde continua internada

Marisa Letícia, primeira-dama da República do Brasil.
Marisa Letícia, primeira-dama da República do Brasil. (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) iniciou uma investigação para apurar o vazamento de imagens dos exames realizados na ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, internada após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

As imagens corresponderiam às da tomografia à qual Marisa foi submetida no hospital Assunção, em São Bernardo do Campo, onde recebeu o primeiro atendimento antes de ser transferida para o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde continua internada.

O hospital Assunção também instaurou sindicância e afastou profissionais envolvidos no atendimento a Marisa Letícia. Fotos e imagens em vídeo dos exames da ex-primeira-dama circulam desde o dia da internação nas redes sociais.

Segundo o Cremesp, um dos objetivos da sindicância é averiguar se houve participação de médicos no vazamento. "A apuração pode apontar se a divulgação de dados clínicos teve a participação de médicos ou se era do conhecimento da diretoria técnica ou clínica da instituição", diz o Cremesp.

De acordo com o Código de Ética Médica, é vedado ao médico 'permitir o manuseio e 'o conhecimento dos prontuários por pessoas não obrigadas ao sigilo profissional quando sob sua responsabilidade'. Também não é permitido 'liberar cópias do prontuário sob sua guarda, salvo quando autorizado, por escrito, pelo paciente, para atender ordem judicial ou para a sua própria defesa' esta última em situação de sindicância ou processo ético-profissional.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247