Consumidores reclamam do preço do pescado

Os consumidores que lotaram o Mercado da Produção, em Maceió, para adquirir peixes, frutos do mar e verduras para preparar refeições da Semana Santa, reclamaram do preço do das mercadorias; alguns peixes, por exemplo, estavam sendo comercializados pelo dobro do preço

Os consumidores que lotaram o Mercado da Produção, em Maceió, para adquirir peixes, frutos do mar e verduras para preparar refeições da Semana Santa, reclamaram do preço do das mercadorias; alguns peixes, por exemplo, estavam sendo comercializados pelo dobro do preço
Os consumidores que lotaram o Mercado da Produção, em Maceió, para adquirir peixes, frutos do mar e verduras para preparar refeições da Semana Santa, reclamaram do preço do das mercadorias; alguns peixes, por exemplo, estavam sendo comercializados pelo dobro do preço (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - O movimento no Mercado da Produção, no bairro da Levada, em Maceió, é intenso na manhã desta quinta-feira (2). Os consumidores que deixaram para comprar peixes, frutos do mar, verduras e outros produtos utilizados na preparação das refeições da Semana Santa lotam os corredores do local e ainda precisam enfrentar os altos preços das mercadorias. 

A reclamação é geral, pois alguns peixes estão sendo comercializados ao dobro do preço normal. "Tá caro demais. O quilo da carapeba está custando 40 reais; antes era 20 reais, no máximo, 22. Vou ter que comprar menos este ano, só para não deixar passar em branco”, destacou a cliente Ana Lúcia.

O consumidor Tácio Aureliano reclamou não só dos altos preços, mas, também, da grande quantidade de pessoas circulando pelo mercado. "Tá tumultuado demais, viu? Gente demais. Além disso, os preços estão muito altos. Não estão cobrando os preços normais. Os comerciantes estão aproveitando a data. Se voltar aqui na semana que vem não estará assim. É a mesma coisa que acontece com o ovo de Páscoa, mas fazer o que, né?", comentou o cliente. 

Com o trabalho intenso, os comerciantes são só comemoração. Muitos esgotaram as mercadorias antes mesmo do final da manhã. “As vendas estão boas. Já estou indo embora daqui a pouco porque vendi quase tudo. Os preços estão caros tanto pra quem vende quanto para o consumidor, mas isso não está atrapalhando as vendas", contou o vendedor de tilápias, Andrei Anselmo.

A comerciante Leila Oliveira, que vende frango no mercado há 20 anos, fez questão de substituir a mercadoria para faturar nesta Semana Santa. Com os peixes, ela disse que teve que ocupar outra bancada para dar conta da clientela.

"Tem tanta gente comprando que não tava dando vencimento. Tivemos que ocupar outra bancada para atender todo mundo. Mesmo com o movimento intenso, estamos ganhando pouco. O lucro é de R$ 1,00 ou R$ 0,50 por quilo de peixe. Até os frigoríficos estão reclamando", disse a vendedora. Segundo ela, somente esta semana, ela conseguiu vender o equivalente a R$ 20 mil.

De acordo com a administração do Mercado da Produção, o movimento está dentro do esperado para a época, sendo que, tradicionalmente, os dias de fluxo mais intenso de clientes são quarta e quinta-feira Santa. 

"Está muito cheio, mas toda Semana Santa é assim. O fluxo de pessoas passando pelo Mercado é muito grande e é muita gente vendendo, gente que vem de fora e aproveita esse momento. Até as bancas de frango tiveram que passar a vender peixe, camarão", diz Ângela Cláudia, radialista do Mercado da Produção.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247