Consumo de água sobe quase 10% em Alagoas

A tarifa da água deve ficar mais cara para os alagoanos a partir do dia 1º de julho; os consumidores terão que pagar 9,76% a mais pelo serviço, de acordo com o reajuste autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal); decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado e tem como justificativa a planilha de custos dos serviços prestados pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal)  

A tarifa da água deve ficar mais cara para os alagoanos a partir do dia 1º de julho; os consumidores terão que pagar 9,76% a mais pelo serviço, de acordo com o reajuste autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal); decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado e tem como justificativa a planilha de custos dos serviços prestados pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal)
 
A tarifa da água deve ficar mais cara para os alagoanos a partir do dia 1º de julho; os consumidores terão que pagar 9,76% a mais pelo serviço, de acordo com o reajuste autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal); decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado e tem como justificativa a planilha de custos dos serviços prestados pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal)   (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - A tarifa da água deve ficar mais cara para os alagoanos a partir do dia 1º de julho. Os consumidores terão que pagar 9,76% a mais pelo serviço, de acordo com o reajuste autorizado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal). 

A resolução do órgão está publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (1º).

A decisão já havia sido promulgada pelo colegiado da Arsal no último dia 19. 

Com isso, a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) fica autorizada a reajustar as tarifas de abastecimento de água para todas as categorias de consumo. O aumento acontece de forma linear.

A resolução, assinada pelo diretor-presidente da Agência Reguladora, Marcus Antonio Vieira de Vasconcelos, entra em vigor já a partir da data de publicação.

A assessoria de comunicação da Casal, por sua vez, emitiu nota à imprensa para explicar o reajuste, destacando o aumento no custo dos insumos.

Confira abaixo:

A Arsal autorizou a aplicação do reajuste de 9,76% na tarifa de água e esgoto, a partir de 1º de julho, para o ciclo 2017/2018, após estudos e auditorias realizados na Companhia, com base em planilha de custos dos serviços prestados pela Casal. 

O cálculo realizado pela Arsal levou em conta pontos como o aumento da energia elétrica e, principalmente, o aumento no custo dos insumos, a exemplo de vários produtos químicos destinados ao tratamento da água. Taxados em dólar, os preços dos insumos sofreram alta entre 18,41% e 55,31%.

Também foram analisados o reajuste salarial e a proposta de investimentos da Casal, na ordem de R$ 103 milhões, para expansão e modernização dos serviços prestados em todo o estado no biênio.

O percentual (9,76%) representa a média de reajustes aplicados em outras companhias de saneamento do Nordeste, como as do Ceará (12,9%), Paraíba (12,39%), Rio Grande do Norte (9,46%) e Bahia (8,8%).

 Com gazetaweb.com e assessoria

Ao vivo na TV 247 Youtube 247