Coronel diz que PEC dos gastos inviabiliza educação pública no Brasil

Para o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Ângelo Coronel (PSD), "a PEC do Teto dos Gastos empurra o Brasil para o fosso, na medida que congela por 20 anos os investimentos do país"; Coronel criticou a proposta de emenda à Constituição nº 241, do governo de Michel Temer, no seminário de lançamento do Plano de Fiscalização da Educação, na manhã desta segunda-feira, em Salvador; ele disse que a PEC dos Gastos "é descabida e inimiga das metas do PNE (Plano Nacional de Educação)". Para ele, "a proposta causa problemas para a ciência, a tecnologia e para a educação básica de jovens e adultos"

Ângelo Coronel
Ângelo Coronel (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Para o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Ângelo Coronel (PSD), "a PEC do Teto dos Gastos empurra o Brasil para o fosso, na medida que congela por 20 anos os investimentos do país". Coronel criticou a proposta de emenda à Constituição nº 241, de autoria do governo federal, no seminário de lançamento do Plano de Fiscalização da Educação, na manhã desta segunda-feira (21), no Gran Hotel Stella Maris, com a presença de especialistas em educação de vários cantos do País.

O presidente do Legislativo baiano disse que a PEC dos Gastos, já aprovada na Câmara dos Deputados em dezembro último, "é descabida e inimiga das metas do PNE (Plano Nacional de Educação)". Para ele, "a proposta causa problemas para a ciência, a tecnologia e para a educação básica de jovens e adultos".

Coronel entende que a medida inviabiliza a inclusão dos quase 3 milhões de crianças e jovens que estão fora das salas de aula, a formação continuada dos professores e a melhoria do salário dos trabalhadores em educação e da implantação dos planos de carreira.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247