Corrêa é autorizado a trabalhar como médico

Ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), após ser condenado na Ação Penal 470, conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista em uma clínica no município de Garanhuns, agreste pernambucano; contra sua vontade, usará tornozeleira fora do presídio

Ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), após ser condenado na Ação Penal 470, conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista em uma clínica no município de Garanhuns, agreste pernambucano; contra sua vontade, usará tornozeleira fora do presídio
Ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), após ser condenado na Ação Penal 470, conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista em uma clínica no município de Garanhuns, agreste pernambucano; contra sua vontade, usará tornozeleira fora do presídio (Foto: Mariana Almeida)

Pernambuco 247 – O ex-deputado federal Pedro Corrêa, que cumpre pena no Centro de Ressocialização do Agreste, em Canhotinho (PE), conseguiu liberação para trabalhar como médico radiologista. O ex-parlamentar, condenado durante o processo do 'mensalão', deve trabalhar durante o comprimento da pena de sete anos e dois meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A decisão foi dada pelo juiz titular da 1ª Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha, e anunciada no Fórum Rodolfo Aureliano.

A clínica que receberá Corrêa é situada na cidade de Garanhuns, no Agreste pernambucano. O expediente será de segunda a sexta-feira, das 8h até as 17h30, com horário de 8h até o meio-dia no sábado e salário de R$ 2,5 mil. O uso da tornozeleira ao sair do cárcere foi mantido pelo juiz, apesar da alegação de constrangimento realizada pelo ex-parlamentar. O pedido realizado por Corrêa para estudar também foi negado.

Preso desde o final do ano passado, Corrêa cumpre pena após ser condenado durante o julgamento da Ação Penal 470, realizada pelo Supremo Tribunal Federal. O pedido de trabalho externo havia sido realizado pela defesa do ex-parlamentar há mais de três meses.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247