Corrêa será transferido para Canhotinho

O ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) será transferido do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, para a penitenciária de Canhotinho, no Agreste pernambucano, a 210 km da capital pernambucana; condenado no 'mensalão', o ex-parlamentar cumprirá pena de sete anos e dois meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; a data da transferência ainda será definida pela Secretaria de Ressocialização de Pernambuco (Seres)

O ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) será transferido do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, para a penitenciária de Canhotinho, no Agreste pernambucano, a 210 km da capital pernambucana; condenado no 'mensalão', o ex-parlamentar cumprirá pena de sete anos e dois meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; a data da transferência ainda será definida pela Secretaria de Ressocialização de Pernambuco (Seres)
O ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) será transferido do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife, para a penitenciária de Canhotinho, no Agreste pernambucano, a 210 km da capital pernambucana; condenado no 'mensalão', o ex-parlamentar cumprirá pena de sete anos e dois meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; a data da transferência ainda será definida pela Secretaria de Ressocialização de Pernambuco (Seres) (Foto: Leonardo Lucena)

Pernambuco 247 - O ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) será transferido do Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), para a penitenciária de Canhotinho, no Agreste pernambucano, a 210 quilômetros da capital pernambucana. Condenado no 'mensalão', o ex-parlamentar cumprirá pena de sete anos e dois meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A data da transferência ainda será definida pela Secretaria de Ressocialização de Pernambuco (Seres).

A decisão foi anunciada, nesta terça-feira (7), dia em que o réu completa 66 anos, pelo juiz da 1ª Vara de Execuções Penais, Luiz Gomes da Rocha Neto, em entrevista coletiva. "Quando o reeducando chegou (em Pernambuco), a nossa decisão foi recepcionar no Cotel porque é a nossa central de triagem, a porta do nosso sistema prisional", afirmou. "Nesses últimos dias, houve juntada de documentos que comprovam que ele está estabelecido na região, por isso, apesar de ele morar em Boa Viagem [na Zona Sul do Recife], optei, tecnicamente, por Canhotinho", complementou o magistrado.

O réu da Ação Pena 470, o 'mensalão', foi levado para o Cotel, uma vez que, na documentação encaminhada ao estado, a Justiça Federal não indicou em que unidade prisional Corrêa ficaria detido. A decisão do juiz será encaminhada para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa.

O ex-parlamentar cumprirá a pena em regime semiaberto, onde tem permissão para trabalhar durante o dia e voltar para a penitenciária à noite e nos finais de semana. Corrêa trabalhará como médico no município de Santa Cruz do Capibaribe, também no Agreste, recebendo um salário de R$ 5 mil.

Inicialmente, o pedido da família era para que o ex-deputado fosse movido para a Penitenciária Agrícola de Itamaracá (PAI). Entretanto, devido às péssimas condições do local, os parentes de Corrêa solicitaram que ele fosse movido para outro destino por questões de segurança.

Durante a sua transferência de Brasília ao Recife, o réu foi algemado, provocando indignação em seus familiares, que ameaçaram processar a Polícia Federal sob o argumento de que a iniciativa feria o estatuto do idoso. Os parentes de Corrêa ainda avaliarão o caso.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247