Correia: Quero ver se Dallagnol tem coragem de ir à Câmara dos Deputados

O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) bateu duro no procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol, que não entegou o celular para perícia, após o site Intercept Brasil divulgar o escândalo da Lava Jato; "Tentando limpar sujeiras? Quero ver se tem coragem de ir até a Camara Federal responder aos deputados e prestar contas ao povo"

247 - O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) bateu duro no procurador da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol após o site Intercept Brasil divulgar a troca de mensagens dele com o ex-juiz Sérgio Moro, atual ministério da Justiça, mostrando conluio entre os dois para condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e articulações com os americanos, que estão de olhos no pré-sal brasileiro (já explorando) e, como consequência, são contrários à eleição de Lula, que não entregaria o petróleo para estrangeiros.

"Tentando limpar sujeiras? Quero ver se tem coragem de ir até a Camara Federal responder aos deputados e prestar contas ao povo. Requerimento de minha autoria já está aprovado. Vou marcar a data e se Deltan não for por bem, vai debaixo de vara na CPMI", escreveu o parlamentar no Twitter.

Segundo reportagem do Intercept, o procurador duvidava da existência de provas contra Lula, acusado de ter recebido um apartamento da OAS como propina. "No dia 9 de setembro de 2016, precisamente às 21h36 daquela sexta-feira, Deltan Dallagnol enviou uma mensagem a um grupo batizado de Incendiários ROJ, formado pelos procuradores que trabalhavam no caso. Ele digitou: 'Falarão que estamos acusando com base em notícia de jornal e indícios frágeis… então é um item que é bom que esteja bem amarrado. Fora esse item, até agora tenho receio da ligação entre petrobras e o enriquecimento, e depois que me falaram to com receio da história do apto… São pontos em que temos que ter as respostas ajustadas e na ponta da língua'", diz o site.

Outra matéria apontou que Moro "sugeriu trocar a ordem de fases da Lava Jato, cobrou novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão, mostram conversas privadas ao longo de dois anos".

No diálogo com Dalagnol pelo aplicativo Telegram ele escreve: "Talvez fosse o caso de inverter a ordem da duas planejadas". "Não é muito tempo sem operação?", questionou.

Em outro trecho, publicado pelo The Intercept Brasil, Moro se queixa de que a operação não pode ficar muito tempo "parada" e Dallagnol responde afirmando que haveria a necessidade de articular com os americanos. 

Leia:

"Moro – 18:44:08 – Não é muito tempo sem operação?
Deltan – 20:05:32 – É sim. O problema é que as operações estão com as mesmas pessoas que estão com a denúncia do Lula. Decidimos postergar tudo até sair essa denúncia, menos a op do taccla pelo risco de evasão, mas ela depende de Articulacao com os americanos
Deltan – 20:05:45 – (Que está sendo feita)
Deltan – 20:05:59 – Estamos programados para denunciar dia 14
Moro – 20:53:39 – Ok"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247