CPI das Próteses fará audiência pública no RS

A CPI das Próteses realizará na quinta-feira (14) audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, onde ouvirá vítimas de procedimentos irregulares relacionados a órteses e próteses; denúncias dão conta de que a "máfia das próteses" envolvida na venda superfaturada de produtos em troca de comissões, aumentando o gasto do sistema de saúdo e colocando em risco a vida de pacientes

Sala de comissões do Senado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Próteses que irá apurar as irregularidades e os crimes relacionados aos procedimentos médicos de colocação de órteses e próteses no País.

A CPI realiza udiência pública interativ
Sala de comissões do Senado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Próteses que irá apurar as irregularidades e os crimes relacionados aos procedimentos médicos de colocação de órteses e próteses no País. A CPI realiza udiência pública interativ (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Próteses realizará na quinta-feira (14) audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, onde ouvirá vítimas de procedimentos irregulares relacionados a órteses e próteses.

Foram convidados o jornalista Giovanni Grizzoti; o presidente do Conselho Regional de Medicina do estado, Fernando Weber Matos; o presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul, Cláudio José Allgayer; o procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Eduardo de Lima Veiga; o secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis; os delegados da Polícia Civil Daniel Mendelski Ribeiro e Joerberth Pinto Nunes; e a procuradora do Estado Fabrícia Boscaini.

Criada por requerimento do senador Magno Malta (PR-ES), a CPI destina-se a investigar as denúncias sobre irregularidades nos procedimentos médicos de colocação de órteses e próteses. Em seu pedido, Magno Malta menciona denúncia sobre a "máfia das próteses" envolvida na venda superfaturada de produtos em troca de comissões, aumentando o gasto do sistema de saúdo e colocando em risco a vida de pacientes.

O Rio Grande do Sul, origem das denúncias sobre tais irregularidades, é o estado com a maior quantidade de ações judiciais para a obtenção de medicamentos e dispositivos médicos.

Presidida por Magno Malta, a CPI das Próteses tem como relator o senador Humberto Costa (PT-PE).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247