CPI quebra sigilos de Iris e Paulo Garcia; prefeito reage

Governista, comissão rejeita as convocações de Marconi, Cachoeira e Bordoni; oposição contra-ataca ao solicitar junto ao TCE informações sobre os contratos do Estado com a Delta e a Gerplan; em nota, Garcia diz que sua vida é  livro aberto e que CPI mantém conduta questionável e submissa

CPI quebra sigilos de Iris e Paulo Garcia; prefeito reage
CPI quebra sigilos de Iris e Paulo Garcia; prefeito reage (Foto: Divulgação)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembléia Legislativa de Goiás que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira e da Delta com políticos de Goiás aprovou ontem as quebras dos sigilos bancário, fiscal, de sms e telefônico do atual prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, e do ex-prefeito Iris Rezende.

Ontem também prestou depoimento o ex-chefe de gabinete da Prefeitura, Cairo de Freitas. Ele tentou tirar o foco sobre o prefeito Garcia e disse que reuniu-se com Wladmir Garcêz, Carlos Cachoeira e três vereadores de oposição para discutir as obras do Parque Mutirama sem o conhecimento do ex-chefe.

À tarde, o prefeito Paulo Garcia publicou a seguinte nota: "Não há motivo para alarde em relação à quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico. Como já havia dito anteriormente, minha vida é um livro aberto. Isso não me impede de ressaltar que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa mantém uma conduta questionável e submissa."

Leia mais na reportagem da Agência Assembléia:

CPI aprova a quebra de sigilos de Iris Rezende e Paulo Garcia nesta manhã

Deputados aprovaram, na manhã desta terça-feira,3, durante reunião da Comissão Parlamentar de Inquerito (CPI) o requerimento que pede a quebra de sigilo bancário, fiscal, sms e telefônico do atual e ex-prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT) e Iris Rezende (PMDB), respectivamente.

A décima reunião da CPI que investiga possível envolvimento de autoridades e políticos goianos com a contravenção e o crime organizado, e atuação das empresas Delta e Gerplan no Estado, está acontecendo no Auditório Solon Amaral da Assembleia Legislativa e já recebeu novos requerimentos e aprovou outros nesta manhã.

Participam da reunião de hoje os deputados-membros Helio de Sousa (DEM), presidente da CPI; Talles Barreto (PTB), relator; Mauro Rubem (PT), vice-presidente; Tulio Isac (PSDB); e Daniel Vilela (PMDB). O deputado Helder Valin acompanha os trabalhos da CPI nesta manhã.

No início da reunião, os deputados Talles Barreto e Tulio Isac apresentaram requerimentos para a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e de mensagens SMS do atual e ex-prefeito de Catalão, Velomar e Adib Elias respectivamente. Os requerimentos serão votados na próxima reunião da CPI.

Outro requerimento assinado pelos dois deputados solicita à prefeitura de Goiânia e ao TCM a disponibilização, no prazo de 10 dias úteis, de todos os pagamentos realizados à prefeitura à empresa Qualys, que hoje tem o nome de Sustentar.

Durante reunião, o vice-presidente Mauro Rubem apresentou requerimento solicitando cópias de contrato de renovação da frota de ônibus da Metrobus. O deputado também solicita informações ao Tribunal de Contas do Estado sobre contratos das empresas Delta e Gerplan com o Estado. A votação das propostas também será realizada na próxima reunião da Comissão.

Votação de requerimentos

Nesta manhã, os deputados-membros da CPI aprovaram requerimentos para que sejam intimados para depor na CPI o procurador do Estado, Marcelo Siqueira; os delegados da Polícia Civil Leandro Pinheiro Fonseca Pereira, Rosivaldo Linhares Rosa e André Soares Veloso.

Por outro lado, parlamentares rejeitaram proposta para que fossem intimados o ex-presidente da Agência Goiana do Sistema de Execução Penal (Agesp), Edilson de Brito; o sócio-proprietário da empresa Mestra Administração e Participação, Écio Antônio Ribeiro; o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira; a ex-integrante do quadro societário da empresa Mestra Administração e Participação, Sejana Martins e o jornalista Luiz Carlos Bordoni.

Os deputados aprovaram a convocação do presidente da Agência Goiana do Sistema de Execução Penal, Edemundo Dias Oliveira Filho.

Eles rejeitaram os requerimentos que convidaram para prestar depoimento na CPI o governador do Estado Marconi Perillo (PSDB), o deputado federal Armando Vergílio dos Santos Junior (PSD); a procuradora de Justiça Ivana Farina; à procuradora de Justiça Laura Bueno; o promotor de Justiça Saulo de Castro Bezerra; o promotor de Justiça, Eduardo Abdon Moura e aos também promotores, Abrão Amisy Neto e Humberto Machado. O prefeito de Águas Lindas de Goiás, Geraldo Messias, teve seu convite para depor aprovado pela CPI.

Outros requerimentos aprovados nesta terça-feira, 3, solicitam documentos e informações ao secretário de Segurança Pública e Justiça; ao comandante geral da Polícia Militar; ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás; ao procurador geral de Justiça do Estado de Goiás; ao Tribunal de Contas do Estado e ainda a juntada aos autos da CPI de cópia das notas taquigráficas da audiência pública, realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 16 de setembro de 2009.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247