CPMI do Metrô só iniciará trabalhos após primeiro turno

Ficou para depois das eleições de outubro o início dos trabalhos da comissão parlamentar mista de inquérito que investigará denúncias de formação de cartel, corrupção e outros ilícitos em contratos e licitações nos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal; parlamentares ainda precisam definir o presidente e o relator da comissão; nova reunião foi marcada para 7 de outubro

São Paulo 08.12.2011  Governador Geraldo Alckmin durante entrega de trem modernizado para a Linha Azul do Metro onde fez a viagem entre as estações Paraiso e Sé , concedeu entrevista coletiva, fez fotos com populares e tomou café numa lanchonete da Pça  F
São Paulo 08.12.2011 Governador Geraldo Alckmin durante entrega de trem modernizado para a Linha Azul do Metro onde fez a viagem entre as estações Paraiso e Sé , concedeu entrevista coletiva, fez fotos com populares e tomou café numa lanchonete da Pça F (Foto: Gisele Federicce)

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil

Com o cancelamento da reunião desta terça-feira 2, ficou para depois das eleições de outubro o início dos trabalhos da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que investigará denúncias de formação de cartel, corrupção e outros ilícitos em contratos e licitações nos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal.

Os parlamentares ainda precisam definir o presidente e o relator da comissão. Uma nova reunião foi marcada para 7 de outubro, primeira terça-feira após as eleições, quando devem ser retomadas as atividades no Congresso Nacional.

Nesta terça-feira, o integrante mais idoso do colegiado, senador Eduardo Suplicy (PT-SP) tentou abrir, conforme determina o Regimento Comum do Congresso, a reunião marcada para as 14h. Mas, após 30 minutos, a falta de quórum impediu a iniciativa.

Após revelações feitas por um funcionário da Siemens em 2008, o Ministério Público de São Paulo denunciou, em março deste ano, 30 executivos de 12 empresas do setor de transporte por formação de cartel e irregularidades em licitações envolvendo o Metrô ou a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Foram investigados contratos firmados entre 1998 e 2008, durante os governos de Mário Covas, Geraldo Alckmin e José Serra.

A CPMI do Metrô é composta por 13 senadores e 14 deputados. Tradicionalmente, os partidos com as maiores bancadas no Congresso indicam o presidente e o relator das CPIs. O senador João Alberto Souza (PMDB-MA) foi o indicado pelo partido para a presidência. Já o PT, que tem a segunda maior bancada, indicou o deputado Renato Simões (SP) para a relatoria. O prazo previsto para conclusão das investigações é 120 dias.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247