Cremal vai investigar médico que deu atestado

O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) vai investigar o médico que emitiu um atestado para o deputado Marquinhos Madeira (PMDB), em 2012, concedendo a ele 130 dias de afastamento para tratar um problema de saúde; com autorização do Tribunal de justiça, a polícia civil cumpriu mandado de busca e apreensão no gabinete do parlamentar 

O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) vai investigar o médico que emitiu um atestado para o deputado Marquinhos Madeira (PMDB), em 2012, concedendo a ele 130 dias de afastamento para tratar um problema de saúde; com autorização do Tribunal de justiça, a polícia civil cumpriu mandado de busca e apreensão no gabinete do parlamentar 
O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) vai investigar o médico que emitiu um atestado para o deputado Marquinhos Madeira (PMDB), em 2012, concedendo a ele 130 dias de afastamento para tratar um problema de saúde; com autorização do Tribunal de justiça, a polícia civil cumpriu mandado de busca e apreensão no gabinete do parlamentar  (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), vai investigar o médico otorrinolaringologista que emitiu um atestado para o deputado Marquinhos Madeira (PMDB), em 2012, concedendo a ele 130 dias de afastamento para tratar um problema de saúde. Na manhã desta quarta-feira (15), a polícia civil cumpriu um mandado de busca e apreensão no gabinete do parlamentar.

De acordo com o presidente do Cremal, médico Fernando Pedrosa, será instalada uma sindicância para averiguar o fato. No documento, Marquinhos Madeira estaria sendo afastado para tratar de labirintite. No entanto, durante o período de licença, o deputado participou de um rali, na cidade de Maragogi.  

"Nós iremos solicitar da justiça uma cópia do atestado para que possamos identificar o médico. Se for constatado algum indício de falsidade no documento, o profissional poderá ser processado e sofrer algumas punições, que vão desde uma advertência até a cassação dos direitos de atuar como médico", explicou o Pedrosa.   

O presidente Fernando Pedrosa contou que nos casos específicos de atestados emitidos para deputados existe um problema grave. "Quem homologa o atestado é a mesa diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). Isso é um absurdo. Eles são deputados e não médicos. Este tipo de documento deve ser apreciado pelo corpo médico da Assembleia", reclama.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247