Cresce número de jovens mortos em Alagoas

Relatório divulgado pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, revela o crescimento no número de jovens mortos com idades entre 15 e 29 anos. Nos últimos dois anos 2.696 pessoas foram assassinadas no estado, das quais 2.337 foram vítimas de arma de fogo, o que representa 86,68% das mortes

Relatório divulgado pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, revela o crescimento no número de jovens mortos com idades entre 15 e 29 anos. Nos últimos dois anos 2.696 pessoas foram assassinadas no estado, das quais 2.337 foram vítimas de arma de fogo, o que representa 86,68% das mortes
Relatório divulgado pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, revela o crescimento no número de jovens mortos com idades entre 15 e 29 anos. Nos últimos dois anos 2.696 pessoas foram assassinadas no estado, das quais 2.337 foram vítimas de arma de fogo, o que representa 86,68% das mortes (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - O número de mortes de jovens com idades entre 15 e 29 anos cresceu 5,48% no Estado entre os anos de 2012 e 2013, conforme dados divulgados pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, durante coletiva realizada na manhã desta terça-feira (25). O uso de arma de fogo para a prática desses crimes teve um aumento de 6,08% nesse período.

Um total de 2.696 pessoas nessa faixa etária foram assassinadas entre os últimos dois anos em Alagoas, das quais 2.337 foram vítimas de arma de fogo, o que representa um percentual de 86,68% das mortes.

Nos municípios do interior, os dados relacionados à violência também são alarmantes, com uma expansão de 12,03% no número de homicídios ocorridos entre 2012 e 2013.

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL, Daniel Nunes, o que tem ocorrido em Alagoas é uma carnificina que tem vitimado centenas de jovens. "Como podemos avaliar nessa pesquisa, o aumento da morte de jovens foi significativo. Ao divulgar esses números, a OAB quer denunciar a questão da violência e cobrar a fiscalização e a implementação de campanhas educativas. A ideia é buscar parceiros para intensificar a campanha do desarmamento", destaca.

Segundo ele, os homicídios registrados no Estado nos últimos anos vitimaram, em sua maioria, jovens do sexo masculino e de cor negra. "Há dois anos esses números vêm crescendo e isso tem preocupado muito a OAB. Infelizmente, a sensação de insegurança contribui muito para a carnificina, e é preciso que os órgãos governamentais, junto com a OAB, viabilize ações para diminuir a insegurança", ressalta Daniel.

De acordo com o presidente da OAB, Thiago Bonfim, o objetivo de divulgar o número de homicídios é manter o tema da violência em voga. "O cidadão que sai armado contribui para a violência. O combate a esses crimes se faz com políticas públicas, polícias nas ruas e polícias sociais", afirma.

Os dados divulgados pela OAB na manhã desta terça-feira são resultado de uma pesquisa realizada junto à Secretaria de Estado da Defesa Social (Ciods) e a imprensa local.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email