Crianças deprimidas são vítimas de bullying mais facilmente

Crianas com sintomas depressivos tm mais facilidade em tornarem-se vtimas de bullying, de acordo com um estudo desenvolvido pela Universidade do Estado de Arizona, divulgado em fevereiro ltimo

Crianças deprimidas são vítimas de bullying mais facilmente
Crianças deprimidas são vítimas de bullying mais facilmente (Foto: Divulgação)

Já se sabia que as crianças rejeitadas e intimidadas pelos colegas tinham tendência a tornarem-se deprimidas, mas novas pesquisas revelam que a relação pode funcionar em sentido inverso: crianças com sintomas depressivos na escola primária podem tornar-se futuras vítimas e vir a sofrer de isolamento social.

Até agora, as investigações tentavam perceber se era o bullying que levava à depressão ou se eram as crianças deprimidas que atraíam os "valentões" da escola.

O estudo, desenvolvido pelos investigadores da Universidade do Estado de Arizona, revela que os sintomas depressivos no 4º ano de escolaridade aumentam as chances de as crianças virem a ser intimidadas no 5º ano e de, no 6º ano, acabarem mesmo por ser rejeitadas pelos colegas.

Para chegar a esses resultados, os investigadores acompanharam 486 crianças, avaliando os seus sintomas de depressão e os níveis de aceitação social através de inquéritos confidenciais preenchidos pelos pais, professores e pelas próprias crianças, que se classificaram e avaliaram os colegas.

Os autores do estudo defendem que as crianças com sintomas de depressão - como isolamento social, comportamento passivo e choro excessivo - começam por ser rejeitadas pelos colegas e, em seguida, passam a ser alvo de intimidações.

Muitas organizações pediátricas e de estudos de comportamento social estão empenhadas em estudos sobre o bullying e suas consequências. O que parece certo é que, comparadas com as crianças que não sofreram esse tipo de agressão, as vítimas de bullying têm chances muito maiores de desenvolver novos problemas psicossomáticos e psicossociais.

De modo contrastante, nas vítimas, alguns sintomas psicológicos, porém não físicos, parecem preceder os ataques de bullying. Crianças com sintomas depressivos têm mais chance de serem novamente atacadas do que crianças com sintomas de ansiedade.

Para concluir – e isso deve ser matéria de reflexão para pais e educadores – sabe-se agora que muitos problemas psicossomáticos e psicossociais que afetam a saúde podem aparecer depois de um episódio de agressão por bullying. Médicos e outros profissionais da saúde tentam estabelecer em que medida o bullying contribui na etiologia desses sintomas, e quais são os melhores métodos que permitirão às crianças vítimas melhor se defenderem, e às crianças agressoras a se conscientizar do mal que estão praticando.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247