Crise: Juízes chamam Sartori de omisso

Durante reunião com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Luiz Felipe Silveira Difin, juízes das Varas de Execuções Criminais fizeram duras críticas ao governador José Ivo Sartori (PMDB); eles reclamaram da falta de diálogo e chamaram de posição omissa do chefe do Executivo quanto à abertura de 2.400 vagas na Penitenciária de Canoas; os juízes disseram que não vai aceitar serem responsabilizados pelo caos nos sistema carcerário e os reflexos que serão causados na segurança pública; em sua página no Facebook um dos magistrados publicou artigo sobre essa questão intitulado “Demagogia”

Durante reunião com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Luiz Felipe Silveira Difin, juízes das Varas de Execuções Criminais fizeram duras críticas ao governador José Ivo Sartori (PMDB); eles reclamaram da falta de diálogo e chamaram de posição omissa do chefe do Executivo quanto à abertura de 2.400 vagas na Penitenciária de Canoas; os juízes disseram que não vai aceitar serem responsabilizados pelo caos nos sistema carcerário e os reflexos que serão causados na segurança pública; em sua página no Facebook um dos magistrados publicou artigo sobre essa questão intitulado “Demagogia”
Durante reunião com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Luiz Felipe Silveira Difin, juízes das Varas de Execuções Criminais fizeram duras críticas ao governador José Ivo Sartori (PMDB); eles reclamaram da falta de diálogo e chamaram de posição omissa do chefe do Executivo quanto à abertura de 2.400 vagas na Penitenciária de Canoas; os juízes disseram que não vai aceitar serem responsabilizados pelo caos nos sistema carcerário e os reflexos que serão causados na segurança pública; em sua página no Facebook um dos magistrados publicou artigo sobre essa questão intitulado “Demagogia” (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sul 21/Marco Weissheimer - Juízes das Varas de Execuções Criminais do Estado manifestaram nesta sexta-feira (29) ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Luiz Felipe Silveira Difini, preocupação com a situação caótica nos presídios gaúchos. O juiz Sidinei Brzuska, da 2ª Vara de Execuções Criminais de Porto Alegre, responsável pelo Juizado do Presídio Central, manifestou sua perplexidade com a falta de diálogo por parte do governador José Ivo Sartori e criticou o que chamou de posição omissa do chefe do Executivo quanto à abertura de 2.400 vagas nas unidades II, III e IV da Penitenciária de Canoas.
"Não aceitaremos ser responsabilizados pelo caos no sistema carcerário e os reflexos que isso causa na segurança pública", disse ainda Brzuska, que foi acompanhado pelos juízes Paulo Augusto Oliveira Irion, Patrícia Fraga Martins e Sonáli da Cruz Sluhan. "É inaceitável", acrescentou, "que os juízes sejam apontados como culpados pela permanência de presos nas delegacias devido à opção política do governo do Estado de manter vagas ociosas em três unidades prisionais de Canoas". Diante do atual cenário, o juiz considera praticamente inevitável o surgimento de novos casos de permanência de presos nas delegacias de polícia de Porto Alegre já nos próximos dias.

Brzuska também se manifestou em sua página no Facebook. Em um texto intitulado "Demagogia", o juiz escreveu:
"Que política de segurança é essa que lota presídios, deixa presos em Delegacias de Polícia e não ocupa 2.400 vagas prisionais em Canoas, das unidades II, III e IV . Querem que o Judiciário resolva o problema da superlotação soltando presos? Para depois dizer que "o governo está fazendo a sua parte" e que a culpa é dos outros?"
O presidente do Tribunal de Justiça manifestou sua preocupação com a situação relatada pelos juízes. Luiz Felipe Silveira Difini afirmou "que espera que o Governo do Estado faça a sua parte no sentido de cumprir com sua missão, no sentido de promover melhores condições nos presídios e também maior segurança pública aos cidadãos".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email