Cunha: 'governo quer consolidar base que não tem'

Visivelmente irritado com a aproximação do PMDB da Câmara ao governo, o presidente do parlamento, Eduardo Cunha (RJ), tem feito críticas recorrentes ao esforço da presidente Dilma Rousseff de aglutinar apoio no Congresso; em jantar com empresários promovido pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, seu aliado, Cunha argumentou que o foco do governo está "errado" na reforma ministerial; "O que a gente defende é a redução do número de ministérios. Quem defende redução do número de ministérios tem também que reduzir os seus próprios", disse

Visivelmente irritado com a aproximação do PMDB da Câmara ao governo, o presidente do parlamento, Eduardo Cunha (RJ), tem feito críticas recorrentes ao esforço da presidente Dilma Rousseff de aglutinar apoio no Congresso; em jantar com empresários promovido pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, seu aliado, Cunha argumentou que o foco do governo está "errado" na reforma ministerial; "O que a gente defende é a redução do número de ministérios. Quem defende redução do número de ministérios tem também que reduzir os seus próprios", disse
Visivelmente irritado com a aproximação do PMDB da Câmara ao governo, o presidente do parlamento, Eduardo Cunha (RJ), tem feito críticas recorrentes ao esforço da presidente Dilma Rousseff de aglutinar apoio no Congresso; em jantar com empresários promovido pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, seu aliado, Cunha argumentou que o foco do governo está "errado" na reforma ministerial; "O que a gente defende é a redução do número de ministérios. Quem defende redução do número de ministérios tem também que reduzir os seus próprios", disse (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta sexta-feira (25) que a reforma ministerial promovida pelo governo Dilma Rousseff é uma tentativa de aglutinar um apoio no Congresso que o Executivo não possui. "O governo quer consolidar uma base que não tem", disse.

Em jantar com empresários promovido pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, aliado do parlamentar, Cunha argumentou que o foco do governo está "errado".

Para ele, oferecer ministérios em troca de apoio na Câmara e no Senado servirá apenas para fidelizar congressistas que já são a favor das medidas do governo. "Não vai mudar os que são contra", disse. "Aqueles que estão já apoiando o governo pleiteando mais espaço de governo para continuar apoiando o governo. O que a gente defende é a redução do número de ministérios. Quem defende redução do número de ministérios tem também que reduzir os seus próprios", completou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247