DCM: com prisão de Aécio, Judiciário pode começar a se redimir

"Está aí uma chance, mínima que seja, do Judiciário redimir-se das últimas patacoadas", diz Mauro Donato, no DCM; segundo ele, a histórica blindagem judicial dos tucanos será colocada à prova nesta terça-feira

Aécio Neves
Aécio Neves (Foto: Leonardo Attuch)

Por Mauro Donato, no DCM

Amanhã (20 de junho), a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal analisará o pedido de prisão do senador Aécio Neves.

O presidente ‘licenciado’ do PSDB teve sua prisão pedida logo após o vazamento de uma gravação feita por Joesley Batista, na qual Aécio requisitava R$ 2 milhões.

Mineiramente, o senador envolveu um primo como receptador e a bufunfa foi entregue. Mas foi também filmada pela Polícia Federal. A casa então caiu para o tucano.

De início, o ministro Edson Fachin (Supremo Tribunal Federal) negou o pedido. Depois disso, Rodrigo Janot (Procurador Geral da República) tocou em frente e deferiu-o. O pedido de cadeia enfim avançou.

Está aí uma chance, mínima que seja, do Judiciário redimir-se das últimas patacoadas – como a mais recente e inesquecível amarelada de Gilmar Mendes – e também dar uma resposta ao procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima, que num momento de sincericídio extremo deixou escapar: “Sempre soubemos o tamanho das forças contrárias que enfrentaríamos. Nunca fomos ingênuos a esse respeito (…) Infelizmente, entretanto, algumas das pessoas que nos apoiavam o fizeram por motivos mesquinhos ou ingênuos. Os primeiros queriam apenas substituir um partido pelo seu próprio partido, sem qualquer pretensão de buscar o bem comum. Já os segundos acreditavam que todo mal estava no governo do PT. Ledo engano”.

Leia a íntegra no DCM

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247