Defesa Civil prepara plano para quadra chuvosa

A Defesa Civil de Alagoas apresentou o plano de emergência que tem o objetivo de preparar algumas cidades do estado para a quadra chuvosa, prevista para começar na segunda quinzena de abril e que pode se estender até agosto; é que existe possibilidade de chuvas intensas e inundações em algumas regiões; historicamente, as chuvas no período já provocaram grandes desastres; em 2010, por exemplo, deixou milhares de desabrigados e um rastro de destruição nos municípios

A Defesa Civil de Alagoas apresentou o plano de emergência que tem o objetivo de preparar algumas cidades do estado para a quadra chuvosa, prevista para começar na segunda quinzena de abril e que pode se estender até agosto; é que existe possibilidade de chuvas intensas e inundações em algumas regiões; historicamente, as chuvas no período já provocaram grandes desastres; em 2010, por exemplo, deixou milhares de desabrigados e um rastro de destruição nos municípios
A Defesa Civil de Alagoas apresentou o plano de emergência que tem o objetivo de preparar algumas cidades do estado para a quadra chuvosa, prevista para começar na segunda quinzena de abril e que pode se estender até agosto; é que existe possibilidade de chuvas intensas e inundações em algumas regiões; historicamente, as chuvas no período já provocaram grandes desastres; em 2010, por exemplo, deixou milhares de desabrigados e um rastro de destruição nos municípios (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - A Defesa Civil Estadual apresentou, nesta segunda-feira (11), a coordenadores municipais e prefeitos alagoanos, o plano de emergência que tem o objetivo de preparar as cidades do estado para a quadra chuvosa, prevista para começar na segunda quinzena de abril e que pode se estender até agosto. Há a possibilidade de chuvas intensas e inundações nos municípios do Vale do Paraíba, Mundaú e Região Norte de Alagoas. 

Historicamente, as chuvas no período já provocaram grandes desastres. O último, em 2010, deixou milhares de desabrigados e um rastro de destruição nos municípios de Atalaia, Branquinha, Cajueiro, Ibateguara, Jacuípe, Joaquim Gomes, Jundiá, Matriz de Camaragibe, Murici, Paulo Jacinto, Quebrangulo, Rio Largo, Santana do Mundaú, São José da Laje, São Luís do Quitunde, São Miguel dos Campos, Satuba, União dos Palmares e Viçosa.

A preocupação é a mesma. O grande volume de chuvas nas cabeceiras dos rios, em Pernambuco, com consequências para todas as cidades banhadas pelos rios Mundaú, Paraíba e outros da Região Norte como o Manguaba.

No plano de emergência, constam ações integradas entre as várias secretarias estaduais e as comissões municipais, para uma resposta rápida à população. Para o Coordenador Operacional, major Dárbio, é importantes que Estado e municípios mantenham essa parceria para evitar, principalmente, mortes.

Os prefeitos de Satuba, Paulo Acioli, e de Paulo Jacinto, Nildo Pereira, asseguram que os gestores investiram nos planos de contingência, apesar de toda a crise financeira que atravessam, mas reconhecem que não tem sido fácil ampliar ações. Outro grande problema que os prefeitos enfrentam é a remoção da população das áreas de risco. Muitos que perderam tudo em 2010 já voltaram para as margens dos rios.

Na próxima terça-feira, dia 19, a Comdec/Alagoas fará uma simulação com todos os órgãos envolvidos para ajustar o trabalho, caso as previsões se concretizem e ações emergenciais sejam necessárias.

Com gazetaweb.com e assessoria

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email