Delações esfriam movimento de candidatura ao governo no PMDB

Principais nomes do PMDB para o governo de Goiás em 2018, o ex-prefeito Maguito Vilela e seu filho, o deputado federal Daniel Vilela, foram atingidos pelas delações da Odebrecht; os dois são suspeitos de terem recebido dinheiro de campanha via caixa 2; desde a explosão da lista de Fachin, os movimento de candidatura dentro do PMDB praticamente se encerraram; partido tenta se reerguer e encontrar um caminho; deputado estadual José Nelto, um dos mais ativos na oposição, defende apuração completa dos fatos e já surge como potencial candidato ao Palácio das Esmeraldas

Principais nomes do PMDB para o governo de Goiás em 2018, o ex-prefeito Maguito Vilela e seu filho, o deputado federal Daniel Vilela, foram atingidos pelas delações da Odebrecht; os dois são suspeitos de terem recebido dinheiro de campanha via caixa 2; desde a explosão da lista de Fachin, os movimento de candidatura dentro do PMDB praticamente se encerraram; partido tenta se reerguer e encontrar um caminho; deputado estadual José Nelto, um dos mais ativos na oposição, defende apuração completa dos fatos e já surge como potencial candidato ao Palácio das Esmeraldas
Principais nomes do PMDB para o governo de Goiás em 2018, o ex-prefeito Maguito Vilela e seu filho, o deputado federal Daniel Vilela, foram atingidos pelas delações da Odebrecht; os dois são suspeitos de terem recebido dinheiro de campanha via caixa 2; desde a explosão da lista de Fachin, os movimento de candidatura dentro do PMDB praticamente se encerraram; partido tenta se reerguer e encontrar um caminho; deputado estadual José Nelto, um dos mais ativos na oposição, defende apuração completa dos fatos e já surge como potencial candidato ao Palácio das Esmeraldas (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Os nomes mais falados do PMDB para a eleição de 2018 foram atingidos pelas delações da Odebrecht. O ex-prefeito Maguito Vilela e seu filho, o deputado federal Daniel Vilela, foram delatados por executivos da empreiteira, que acusam os peemedebistas de terem recebido dinheiro via caixa 2 para campanhas eleitorais. Ambos negam as acusações.

Com vasto currículo na política, Maguito é (ou era) o nome mais desejado por alguns setores peemedebistas. Mas, ele vinha afirmando que chegou a vez de o filho Daniel ser protagonista e assumir a candidatura. Com a delação, os movimentos foram paralisados. Daniel estava liderando encontros regionais pelo interior semanalmente e desde a explosão das delações, no dia 11 de abril, o filho de Maguito se afastou até das redes sociais.

Em entrevista ao jornal O Popular, Maguito Vilela assumiu que a imagem de Daniel está "chamuscada" com a Lava Jato, mas acredita na recuperação. O deputado estadual José Nelto afirmou que o partido precisa se reunir e avaliar as consequências das delações. Dentro do PMDB já tem quem defenda a candidatura de Nelto, que é o deputado que a oposição mais agressiva ao governo estadual.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247