Demóstenes: "Me sinto mais maduro para legislar"

Em seu último discurso em plenário antes da votação que deve cassar seu mandato, nesta quarta-feira, senador por Goiás, que foi alvo de protesto em Copacabana, diz que pretende se dedicar a temas como educação e recursos hídricos; mas o amadurecimento pode ter chegado tarde demais...

Demóstenes: "Me sinto mais maduro para legislar"
Demóstenes: "Me sinto mais maduro para legislar" (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Na véspera do julgamento do processo por quebra de decoro que deve levá-lo a perder o mandato, o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) voltou à tribuna do Senado para dizer que, a partir de agora, pretende defender propostas relacionadas à educação, à água e à democracia. "Agora, sobrevivente de uma atrocidade sem precedente, me sinto mais maduro para legislar", disse o senador, que pode ter amadurecido tarde demais.

"Vou continuar no Senado trabalhando intensamente pela implantação do ensino em tempo integral em todas as escolas, um percentual mínimo para a educação, a defesa dos recursos hídricos e a estabilidade política de nossa democracia", disse Demóstenes. Segundo ele, após as denúncias de envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, ele vai "perseverar nos estudos" para elaborar novas leis.

Ao mesmo tempo em que falou do futuro, o senador também aproveitou para lembrar o passado, destacando que não mentiu sobre sua relação com Cachoeira, nem cometeu irregularidades no cargo. Demóstenes lembrou que relatou 1.995 propostas e foi autor de mais de 200 – destacando que 55 delas se tornaram leis, como o Estatuto do Idoso, a guarda compartilhada de filhos de pais separados e a criminalização do sequestro relâmpago.

"Nesses nove anos e meio, nada fiz que desonrasse essa Casa, nem o mandato nem a confiança dos senhores, nem do povo de Goiás ou do Brasil. A perseguição vai ser derrotada, e senhor Avelomar e dona Luzia, meus pais, continuarão tendo a certeza que continuarei mantendo limpo o nome de nossa família", afirmou no final.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247