Denúncias abalam aliança entre PMDB e Caiado

Caiu como uma bomba no PMDB goiano a denúncia de Demóstenes Torres contra Ronaldo Caiado, afirmando que o senador teve campanhas financiadas por Carlinhos Cachoeira; nenhum peemedebista saiu em defesa de Caiado e ordem de Iris Rezende é silêncio total; PMDB espera que o senador faça pronunciamento no Congresso e rebata mais uma vez as acusações de Demóstenes; PMDB sempre usou o escândalo Cachoeira para atingir adversários e agora vê um aliado ser acusado de envolvimento com o contraventor

caiado
caiado (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - As denúncias de Demóstenes Torres contra Ronaldo Caiado deixaram o PMDB goiano assustado. O senador do DEM é hoje o principal aliado em potencial dos peemedebistas para as eleições de 2016. Mas, a briga entre os antigos aliados caiu como uma bomba dentro do partido de Iris Rezende. A recomendação do cacique peemedebista é de silêncio.

Nenhum peemedebista graúdo ousou a defende Caiado publicamente. A principal desconfiança é em relação ao suposto financiamento das campanha de Caiado (2002, 2006 e 2010) por Carlinhos Cachoeira. Demóstenes Torres afirmou que o contraventor deu dinheiro para Caiado nesses pleitos eleitorais.

"Acho que a política goiana precisa sofrer um processo de reciclagem e buscar a paz", disse Maguito Vilela ontem. O PMDB espera um pronunciamento de Caiado na semana que vem e aguarda mais desdobramentos do caso. O partido apostou pesado no escândalo Cachoeira para tentar derrotar Marconi Perillo em 2014 e não conseguiu e agora vê um aliado ser acusado de envolvimento com o contraventor.

Caiado nega ter recebido recursos de Cachoeira, mas o PMDB ainda está sob o clima de desconfiança.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247