Depois de Cabral, Alckmin será a nova bola da vez

PT e  CUT pretendem engrossar manifestação convocada pelo Movimento Passe Livre para a próxima quarta-feira, em São Paulo; integrantes do MPL argumentam que, sem os supostos desvios de R$ 400 milhões nas obras do metrô, a tarifa do transporte público em São Paulo seria de R$ 0,90; Palácio dos Bandeirantes teme que indignação popular se volte contra Geraldo Alckmin, agora que Sergio Cabral já foi abatido

www.brasil247.com - Depois de Cabral, Alckmin será a nova bola da vez
Depois de Cabral, Alckmin será a nova bola da vez


247 - Uma manifestação convocada pelo Movimento Passe Livre para o próximo dia 14, em São Paulo, será um teste de fogo para o governador Geraldo Alckmin. O foco do protesto será o chamado "propinoduto tucano" nas obras do metrô de São Paulo.

Integrantes do MPL falam em desvios de R$ 400 milhões, sem os quais seria possível cobrar uma tarifa muito menor no transporte público. “Nossa posição é que é um absurdo que o dinheiro público esteja sendo desviado do transporte. São mais de R$ 400 milhões desviados, isso daria para reduzir a tarifa a R$ 0,90”, afirma Matheus Preis, militante do MPL-SP.

O que preocupa o Palácio dos Bandeirantes é a possibilidade de que Geraldo Alckmin se torne o novo alvo preferencial dos manifestantes, agora que o governador do Rio, Sergio Cabral, já foi abatido. Teme-se a chamada "cabralização" de Alckmin. Além disso, o movimento será engrossado por militantes do PT e da Central Única dos Trabalhadores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leia, abaixo, notas publicadas no Painel a respeito: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Cabralização

O PT decidiu replicar com Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo o cerco que Sérgio Cabral (PMDB) enfrenta no Rio. O partido atua na organização de protestos marcados para esta semana e a próxima, que farão menção à investigação de cartel em governos tucanos. Dirigentes da CUT vão engrossar ato do Movimento Passe Livre na quarta-feira. No dia 28, na marcha pela reforma urbana, movimentos de moradia também ligados ao PT vão à rua pedir CPI sobre o caso Siemens.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Baixo astral Auxiliares e aliados de Alckmin relatam que o escândalo dos trens atingiu em cheio o humor do governador, que tem se queixado de o caso ter estourado no seu colo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email