Deputado comprou base ilegal de contatos para campanha via WhatsApp

O deputado federal Laudívio Carvalho (PODE-MG) admitiu ter comprado dados de 40 mil pessoas para fazer disparos de mensagens via WhatsApp durante as eleições; agência utilizada para esse serviço na campanha foi a Quick Mobile, que tem sede em Belo Horizonte; ela é uma das empresas investigadas por suposta participação em esquema bancado por empresários para envio de mensagens com conteúdo anti-PT

Deputado comprou base ilegal de contatos para campanha via WhatsApp
Deputado comprou base ilegal de contatos para campanha via WhatsApp (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

247 – O deputado federal Laudívio Carvalho (PODE-MG) não se reelegeu, mas bem que tentou e de todas as formas. Até  comprar, o que é admitido por ele, dados de 40 mil pessoas cedidos por uma agência de marketing digital para fazer disparos de mensagens via WhatsApp durante as eleições deste ano.

A prática é ilegal, segundo a legislação eleitoral. A agência utilizada por ele para esse serviço na campanha foi a Quick Mobile, que tem sede em Belo Horizonte, de acordo com reportagem do UOL.

Laudívio pagou R$ 3.080 pelos serviços de marketing digital.  A Quick Mobile é uma das empresas investigadas por suposta participação em esquema bancado por empresários para envio de mensagens via WhatsApp com conteúdo anti-PT. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247