Deputado do DEM pede extradição de Joesley ao Itamaraty

Deputado José Carlos Aleluia (DEM) deu entrada no Itamaraty nesta quarta-feira num requerimento pedindo a extradição do empresário Joesley Batista, que se mudou para Nova York depois de delatar Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves; "Nosso pedido tem como base investigações sobre insider trading e outros crimes contra a ordem econômica que estão fora do acordo com a PGR. Cabe ressaltar que Joesley lucrou com a confissão de seus crimes ao especular contra o país em cima de sua delação. No momento em que passamos o país a limpo, não podemos deixar este senhor livre vivendo do fruto de seus crimes em Nova York", diz o baiano

Aleluia
Aleluia (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Presidente do Democratas na Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia deu entrada no Itamaraty nesta quarta-feira (24) num requerimento pedindo a extradição do empresário Joesley Batista, que se mudou para Nova York depois de delatar Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG).

O documento do democrata "tem como base os crimes contra a ordem econômica que não estão englobados no acordo firmado entre os sócios do Grupo JBS e a Procuradoria-Geral da República (PGR)". Aleluia ressalta que o Ministério das Relações Exteriores tem a prerrogativa de requerer aos Estados Unidos o retorno de Joesley para que ele responda por outras investigações que não estão citadas em sua delação premiada.

"Nosso pedido tem como base investigações sobre insider trading e outros crimes contra a ordem econômica que estão fora do acordo com a PGR. Cabe ressaltar que Joesley lucrou com a confissão de seus crimes ao especular contra o país em cima de sua delação. No momento em que passamos o país a limpo, não podemos deixar este senhor livre vivendo do fruto de seus crimes em Nova York", diz o baiano.

Aleluia reforça que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu processos administrativos para apurar se empresas e fundos ligados à JBS agiram com informações privilegiadas sobre o teor do acordo de colaboração premiada e que já há fortes indícios de que o grupo teria atuado no mercado de câmbio, comprando milionárias quantias em dólar e vendido ações da JBS antes de a colaboração se tornar pública.

"Crimes contra a Ordem Econômica estão previstos na Lei 8.137 e não são parte do acordo firmado. Estamos com todas as bases legais para requerer o pedido de extradição aos Estados Unidos que não tem motivo para negá-lo. O senhor Joesley vai ter que voltar para responder pelos seus crimes", diz Aleluia.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247