Deputado Galo lamenta morte de policiais militares

O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia, deputado Marcelino Galo (PT), lamentou a morte dos policiais militares Everton Oliveira de Santana e Gilberto Lemos Silva Júnior, nesta madrugada, em Bom Jesus da Lapa; os policiais, que eram lotados na 38ª Companhia Independente, foram sequestrados e mortos durante fuga de bandidos que tentaram assaltar as agências bancárias do Bradesco e do Banco do Brasil da cidade; com essa ocorrência, chega a seis o número de policiais mortos na Bahia em 2017

O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia, deputado Marcelino Galo (PT), lamentou a morte dos policiais militares Everton Oliveira de Santana e Gilberto Lemos Silva Júnior, nesta madrugada, em Bom Jesus da Lapa; os policiais, que eram lotados na 38ª Companhia Independente, foram sequestrados e mortos durante fuga de bandidos que tentaram assaltar as agências bancárias do Bradesco e do Banco do Brasil da cidade; com essa ocorrência, chega a seis o número de policiais mortos na Bahia em 2017
O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia, deputado Marcelino Galo (PT), lamentou a morte dos policiais militares Everton Oliveira de Santana e Gilberto Lemos Silva Júnior, nesta madrugada, em Bom Jesus da Lapa; os policiais, que eram lotados na 38ª Companhia Independente, foram sequestrados e mortos durante fuga de bandidos que tentaram assaltar as agências bancárias do Bradesco e do Banco do Brasil da cidade; com essa ocorrência, chega a seis o número de policiais mortos na Bahia em 2017 (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelino Galo (PT), lamentou, por meio de nota à imprensa nesta segunda-feira (23), a morte dos policiais militares Everton Oliveira de Santana e Gilberto Lemos Silva Júnior, nesta madrugada, em Bom Jesus da Lapa. Os policiais, que eram lotados na 38ª Companhia Independente, foram sequestrados e mortos durante fuga de bandidos que tentaram assaltar as agências bancárias do Bradesco e do Banco do Brasil da cidade. Com essa ocorrência, chega a seis o número de policiais mortos na Bahia em 2017.

“A Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, da qual sou presidente, vai procurar as entidades representativas da Polícia Militar e o Governo do Estado no sentido de encontrar uma solução para que evitemos a perda de Policiais Militares e também de cidadão comuns, em virtude da violência, bem como para garantir o direito à assistência necessária às famílias das vítimas”, afirmou Galo, que defendeu também maior participação da Polícia Federal no combate a assaltos e explosões de agências bancárias.

“Entendemos também que o combate a assaltos e explosões de agências bancárias no Brasil necessita de uma participação mais efetiva da Polícia Federal visto que há sinais claros, em vários casos, de se tratar de quadrilhas organizadas e que operam, de forma articulada, dadas as praticas dos crimes, no território nacional. Me enluto, portanto, à Polícia Militar e a família das vítimas, trabalhadores da segurança pública, e tenham certeza que as medidas operacionais para identificar e prender os autores deste crime estão sendo tomadas pelos órgãos competentes”, concluiu o parlamentar.

Confira Nota de Pesar:

Lamento, profundamente, o assassinato dos policiais militares Everton Oliveira de Santana e Gilberto Lemos Silva Júnior, mortos, nesta madrugada, em Bom Jesus da Lapa, no exercício de nobre função, que é de proteger à sociedade. A Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, da qual sou presidente, vai procurar as entidades representativas da Polícia Militar e o Governo do Estado no sentido de encontrar uma solução para que evitemos a perda de Policiais Militares e também de cidadão comuns, em virtude da violência, bem como para garantir o direito à assistência necessária às famílias das vítimas. Entendemos também que o combate a assaltos e explosões de agências bancárias no Brasil necessita de uma participação mais efetiva da Polícia Federal visto que há sinais claros, em vários casos, de se tratar de quadrilhas organizadas e que operam, de forma articulada, dadas as praticas dos crimes, no território nacional. Me enluto, portanto, à Polícia Militar e a família das vítimas, trabalhadores da segurança pública, e tenham certeza que as medidas operacionais para identificar e prender os autores deste crime estão sendo tomadas pelos órgãos competentes.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email