Deputado que chamou Maria do Rosário de ‘vaca’ é obrigado a se retratar

Deputada do PT comemora "vitória contra o machismo e contra as fake news" na semana que marca o Dia Internacional da Mulher, em referência à retratação feita pelo deputado estadual por Minas Gerais Cabo Júlio (MDB), que, em novembro de 2016, chamou a parlamentar de "vaca" três vezes

Deputada do PT comemora "vitória contra o machismo e contra as fake news" na semana que marca o Dia Internacional da Mulher, em referência à retratação feita pelo deputado estadual por Minas Gerais Cabo Júlio (MDB), que, em novembro de 2016, chamou a parlamentar de "vaca" três vezes
Deputada do PT comemora "vitória contra o machismo e contra as fake news" na semana que marca o Dia Internacional da Mulher, em referência à retratação feita pelo deputado estadual por Minas Gerais Cabo Júlio (MDB), que, em novembro de 2016, chamou a parlamentar de "vaca" três vezes (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - "Na semana que marca o Dia Internacional da Mulher, também comemoramos mais uma vitória contra o machismo", afirmou em nota a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) devido à retratação feito pelo deputado estadual por Minas Gerais Cabo Júlio (MDB).

No dia 9 de novembro de 2016, o deputado mineiro chamou a parlamentar de “vaca” três vezes, após ler uma notícia falsa da internet de que ela teria criticado um policial aposentado, motorista do aplicativo Uber, que reagiu a um assalto e matou três ladrões. Segundo a postagem, ela teria dito que, se o policial não tivesse reagido, seria uma família chorando, e não três.

"A retratação é simbólica e representa o resgate de princípios de respeito à dignidade humana que cabe a todos os cidadãos observar. Ainda mais fundamental que sejam observados por quem exerce autoridade pública, que devem ser exemplo positivo para a sociedade", disse a deputada.

Em discurso na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado disse ter sido "induzido ao erro por notícias falsas veiculadas prejudicando a sua imagem (da petista)". "Mas em nenhuma circunstância tive o direito de ofendê-la. Faço esta retratação por uma falsa acusação. A parlamentar tem atuação na defesa da vida e contra o crime da violência", afirmou. O emedebista afirmou que reitera suas desculpas "a todas as mulheres que se sentiram ofendidas".

De acordo com a parlamentar, "o pedido público de desculpas também é uma vitória contra as criminosas notícias falsas". "Nosso mandato tem sido vítima quase que diariamente destas 'fake news', fabricadas pelos que semeiam o ódio e mentem para sobreviver politicamente. Inventam notícias e as reproduzem a partir de sites que desprezam a verdade. A agressão do parlamentar se deu a partir de uma destas notícias falsas na Internet", continuou.

"Saúdo o Ministério Público daquele Estado, na pessoa do promotor de Justiça, Daniel de Oliveira Malard, por ter intermediado este pedido de desculpas. Em nome da verdade temos feito a opção de enfrentar agressões na Justiça. Com isto, uma série de vitórias tem sido asseguradas e outras mais virão. Sigo firme e intransigente na defesa dos direitos das mulheres e de todos e todas que têm os seus direitos e dignidade atacados. Mais uma vez compartilho esta conquista com todas as mulheres brasileiras", acrescentou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247