Deputados defendem política de segurança do Governo do Estado

Na retomada dos trabalhos da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira, a pauta da segurança dominou os debates entre situação e oposição. O deputado oposicionista Capitão Wagner afirmou que o governo gasta pouco e mal com segurança pública. Depois do pronunciamento, o deputado retirou-se do plenário e foi criticado por não querer ouvir o líder do governo, deputado Evandro Leitão, que destacou o plano estadual de segurança e salientou que as críticas feitas por alguns parlamentares na Casa pouco têm acrescentado ao debate. Vários parlamentares também fizeram pronunciamentos defendendo a política de segurança do governador Camilo Santana  

fortaleza, 19 de dezembro de 2014- sessao ordinaria da assembleia legislativa do estado do ceara. plenario 13 de maio. deputado estadual e presidnete desta casa zizinho albuquerque, pros.
fortaleza, 19 de dezembro de 2014- sessao ordinaria da assembleia legislativa do estado do ceara. plenario 13 de maio. deputado estadual e presidnete desta casa zizinho albuquerque, pros. (Foto: Fatima 247)

Ceará 247 - Na retomada dos trabalhos da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira, a pauta da segurança dominou os debates entre situação e oposição. O deputado oposicionista Capitão Wagner, apresentando dados de 2016, afirmou que o governo gasta pouco e mal com segurança pública.  Disse ainda que em 2017 o governo não investiu nada em informação. “Na planilha do Governo do Estado está registrado que, em 2017, foi gasto zero em informação e inteligência. Parem com o discurso de que o Governo está fazendo a parte dele. Ele pode estar gastando muito, mas não tanto em comparação a outros estados. E o pior, gasta errado”, reclamou.

Depois do pronunciamento, o deputado retirou-se do plenário e foi criticado pelo colega deputado Julinho (PDT) que registrou a ausência do parlamentar durante o pronunciamento do líder do governo, deputado Evandro Leitão. “Ouvimos as críticas do Capitão, mas ele não está presente para ouvir o contraponto, os investimentos do Governo e nem a melhoria nos índices de violência do Carnaval”, lamentou.

O deputado Evandro Leitão (PDT), destacou, em seu pronunciamento que existe um plano estadual de segurança que está sendo seguido rigorosamente. “O que não existe é mudar a segurança pública da noite para o dia. São muitas ações em educação, cultura, saúde, e ninguém pode negar que o Governo está fazendo e investindo”, disse.

O deputado salientou que as críticas feitas por alguns parlamentares na Casa pouco têm acrescentado ao debate. Segundo o parlamentar, não só houve diversos investimentos em ações estruturais, como a melhoria das delegacias e atitudes voltadas para o beneficio dos profissionais.

Em aparte, o deputado Joaquim Noronha (PRP) frisou que o setor da segurança pública é o mais difícil de administrar, por ser o único que tem um agente contrário. “Existem tentativas de fragilizar o governador, mas asseguro que não existe hoje um homem mais preocupado com a segurança do Estado do que Camilo Santana”, afirmou.

O deputado Walter Cavalcante (PP), por sua vez, enfatizou a necessidade de os parlamentares oferecerem sugestões que possam ajudar o Governo nessa área. “As críticas vazias não ajudam”, assinalou. 

Já o deputado Tomaz Holanda (PPS) reafirmou que o Governo do Estado continua combatendo a violência sem colaboração do Governo Federal. O parlamentar concordou com o deputado Capitão Wagner (PR) sobre medidas tomadas na Colômbia no combate ao narcotráfico, mas lembrou que o país tem as dimensões do Ceará e que conta com apoio nessas operações. “Lá existe um pacto de segurança, é a polícia nacional unida. Nosso País nunca contou com um pacto desses. Aqui todos sabem que não temos ajuda do Governo Federal”, salientou.

Ainda em resposta ao deputado Capitão Wagner, o líder do Governo enfatizou ainda que o Poder Executivo não responsabiliza o Governo Federal por qualquer situação na segurança pública. “Essa crítica não procede. O que o Estado fez e vai continuar fazendo é cobrar do Governo Federal uma política nacional de segurança, além de questões ligadas ao narcotráfico, divisas e armas que entram no País e no Estado ilegalmente”, afirmou.

Já a deputada Dra. Silvana (MDB) se posicionou contra a instalação da CPI do Narcotráfico, outro ponto questionado pelo Capitão Wagner. “Camilo Santana está levando a sério a segurança pública do Estado, e devemos buscar ações de forma lúcida”, disse.

Mais cedo, o deputado Evandro Leitão (PDT) afirmou que não usa segurança pessoal em seu cotidiano. "Não utilizo das minhas prerrogativas nem tenho policial em meu gabinete". O parlamentar informou que respondia, em seu pronunciamento, às declarações do deputado Capitão Wagner (PR), que teria afirmado que o líder do Governo teria medo de andar sozinho nas ruas de Fortaleza.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247