Deputados estaduais criticam, na Assembleia, atitude do presidente da Câmara Federal

O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, foi duramente criticado hoje, na Assembléia Legislativa, por ter mandado evacuar as galerias e o Plenário da Casa durante pronunciamento do ex-ministro Cid Gomes. O assunto foi colocado em pauta, inicialmente, pelo presidente da Assembléia, deputado Zezinho Albuquerque. O debate ocupou boa parte da sessão, com pronunciamentos de diversos deputados. Alguns deputados de oposição, principalmente os do PMDB, partido de Eduardo Cunha,tentaram justificar suas atitudes

Brasília- DF- Brasil- 19/03/2015- Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, preside sessão de votações da Casa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília- DF- Brasil- 19/03/2015- Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, preside sessão de votações da Casa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Fatima 247)

Na abertura da sessão plenária desta quinta-feira (26/03), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Zezinho Albuquerque (Pros), criticou a atitude do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), que, no dia 18 de março, mandou evacuar as galerias e o Plenário da Casa durante pronunciamento do ex-ministro Cid Gomes. Hoje foi a primeira vez que a Assembleia teve sessão ordinária, desde aquele episódio.

O parlamentar relatou que Eduardo Cunha ordenou que todos que não fossem deputados federais se retirassem do Plenário e galerias. “Eu estava lá e sei que não houve nenhuma atitude agressiva de qualquer membro que estava nas galerias ou no Plenário da Casa contra ninguém. O que houve ali foram apenas aplausos. Mas logo depois os seguranças chegaram e disseram que ninguém poderia aplaudir. Essa é a Câmara que está funcionando”, disse.

Zezinho Albuquerque afirmou que o povo do Estado do Ceará foi desrespeitado na Câmara Federal. “Nunca vi uma manifestação de desrespeito ao povo cearense como aquela. Falo independente de partidos e me solidarizo com os deputados e prefeitos que estavam representando o Ceará no Congresso e foram expulsos. Este Parlamento, que representa o povo cearense, merece respeito, mas foi desrespeitado”, frisou.

Em aparte, o deputado Fernando Hugo (SD) destacou o requerimento do deputado Welington Landim (Pros) que pede aprovação de moção de repúdio à decisão da presidência da Câmara dos Deputados. “Pedi ao deputado que encaminhasse esse requerimento a União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), para que esta tome conhecimento do tratamento antiético do presidente da Câmara”, informou.

O deputado Professor Teodoro (PSD) avaliou que o ex-ministro Cid Gomes “foi verdadeiro quando falou na Câmara e merece apoio da Casa”. O deputado Odilon Aguiar (Pros) frisou que a expulsão dos deputados da Câmara foi um momento triste para a Assembleia.

A deputada Rachel Marques (PT) se solidarizou com o deputado Zezinho Albuquerque e com o ex-ministro Cid Gomes. “A atitude do presidente da Câmara tem meu total repúdio”, disse. Já a deputada Augusta Brito (PCdoB) disse que ela teve que sair do Plenário da Câmara porque bateu palmas. Os deputados Elmano Freitas (PT), Carlos Felipe (PCdoB) e Moisés Braz (PT) também reforçaram a crítica feita pelo presidente da AL  à conduta do presidente da Câmara Federal, e se solidarizaram com os representantes cearenses que estavam no plenário da Câmara dos Deputados, e que foram expulsos pelos seguranças.

Já o deputado Renato Roseno (Psol) comentou que o ocorrido na Câmara dos Deputados deve servir de exemplo para que a Assembleia do Ceará venha a ser mais democrática. “Não só porque são parlamentares, mas ninguém deve ser tratado com força e violência”, disse.

Os deputados Audic Mota (PMDB) e Danniel Oliveira (PMDB) ressaltaram que o calor do pronunciamento do ex-ministro e o comportamento inadequado de algumas pessoas presentes na Câmara levou o presidente a tomar a atitude de evacuar a Casa.

Os deputados Ely Aguiar (PSDC) e Dra. Silvana (PMDB) defenderam ser necessário haver sintonia entre a Câmara e a Assembleia. O deputado Heitor Férrer (PDT) ressaltou que o ocorrido na Câmara dos Deputados deve servir de exemplo para muitas Assembleias Legislativas.

Os deputados Ferreira Aragão (PDT), Manoel Duca (Pros), Carlos Matos (PSDB), Tin Gomes (PHS) e Welington Landim (Pros) classificaram como desrespeitoso o ato do presidente da Câmara dos Deputados.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação da Assembléia Legislativa

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247