Deputados negam que reunião com ACM tenha sido para discutir 2018

Nos bastidores, a 'reunião de trabalho' teve como objetivo analisar possíveis pontos fracos da gestão de Rui a serem atacados, com vistas a uma possível candidatura de ACM Neto a governador em 2018; mas os parlamentares negam esse viés. O deputado Pedro Tavares, do PMDB, afirmou que "foi apenas uma reunião de trabalho"; o encontro contou com as presenças de 19 dos 21 deputados da minoria; expectativa é de que os encontros aconteçam regularmente uma vez por mês a partir de então

Nos bastidores, a 'reunião de trabalho' teve como objetivo analisar possíveis pontos fracos da gestão de Rui a serem atacados, com vistas a uma possível candidatura de ACM Neto a governador em 2018; mas os parlamentares negam esse viés. O deputado Pedro Tavares, do PMDB, afirmou que "foi apenas uma reunião de trabalho"; o encontro contou com as presenças de 19 dos 21 deputados da minoria; expectativa é de que os encontros aconteçam regularmente uma vez por mês a partir de então
Nos bastidores, a 'reunião de trabalho' teve como objetivo analisar possíveis pontos fracos da gestão de Rui a serem atacados, com vistas a uma possível candidatura de ACM Neto a governador em 2018; mas os parlamentares negam esse viés. O deputado Pedro Tavares, do PMDB, afirmou que "foi apenas uma reunião de trabalho"; o encontro contou com as presenças de 19 dos 21 deputados da minoria; expectativa é de que os encontros aconteçam regularmente uma vez por mês a partir de então (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Uma reunião do prefeito ACM Neto (DEM) com os deputados que fazem oposição ao governador Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), na terça-feira (9), acendeu o sinal amarelo para os adversários. Nos bastidores, a 'reunião de trabalho' teve como objetivo analisar possíveis pontos fracos da gestão de Rui a serem atacados, com vistas a uma possível candidatura de ACM Neto a governador em 2018.

Mas os parlamentares negam esse viés. O deputado Pedro Tavares, do PMDB, afirmou que "foi apenas uma reunião de trabalho". O encontro contou com as presenças de 19 dos 21 deputados da minoria, além da do vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (PMDB), e de secretários do chamado núcleo duro do prefeito.

"O prefeito se reuniu conosco para definir diretrizes, atualizar as conjunturas do nosso grupo. Mas não teve essa coisa de traçar estratégias para atacar o governador. As fragilidades do governo do Estado são vistas no dia a dia, e nossa atuação como oposição é feita independentemente de ACM Neto ser candidato ou não em 2018. O governador Rui Costa não tem nenhuma marca. Não tem um ponto forte. Claro que fizemos uma análise geral da gestão do governador, pois somos oposição e ACM Neto é nosso líder. Inclusive na avaliação do prefeito, nossa atuação está boa. Mas a reunião foi para isso mesmo. Foi uma reunião de trabalho. Atualizamos questões políticas e administrativas com nossos aliados", afirmou o peemedebista ao jornal Tribuna da Bahia.

O deputado Sandro Régis, do Democratas (DEM), negou que a reunião tenha focado em supostos 'pontos fracos' do governador Rui Costa como estratégia de ataque por parte de ACM Neto em 2018 (no caso de ele entrar na disputa pelo governo do Estado).

"Foi uma ótima reunião de trabalho. Discutimos o momento do País e da Bahia. O prefeito ACM Neto conversou muito sobre as perspectivas para Salvador neste seu segundo mandato, sobretudo do ponto de vista das questões econômicas da cidade. Claro que falamos de política, mas nada disso aí (atacar Rui Costa). Foi uma reunião muito produtiva", afirmou o correligionário do prefeito.

A expectativa é que os encontros aconteçam regularmente uma vez por mês a partir de então.

Apesar do discurso de paz e amor afinado entre os deputados, a Tribuna apurou nos bastidores que ACM Neto orientou que os parlamentares façam um levantamento de dados do governo do Estado de acordo com sua área de atuação, como em áreas como segurança, infraestrutura, saúde e educação. Do encontro saiu como consenso a fragilidade da gestão de Rui Costa em pavimentação de estradas no interior e segurança pública, segundo uma fonte que pediu anonimato.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247