Derrota de 50 a 21 mostra o isolamento de Aécio

O placar de 50 a 21 da votação no Senado, que evitou uma guerra aberta entre a Casa e o STF, revelou o isolamento de Aécio Neves; após três horas de discussões, a maioria dos senadores preferiu não apoiar uma votação que seria essencialmente vista como esforço para salvar o tucano, afundado na Lava-Jato e em outros escândalos; os senadores aprovaram um requerimento  pedindo que a votação ocorra somente no dia 17 de outubro

aecio
aecio (Foto: Giuliana Miranda)

Minas 247 - Uma onda de bom senso invadiu o Senado ontem, afastando a disposição para a guerra com o STF.

Após três horas de discussões, os senadores decidiram adiar a votação que pode revisar o afastamento do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG), determinado na semana passada pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). Por 50 votos a 21, os parlamentares aprovaram um requerimento subscrito por cinco senadores pedindo que a votação ocorra somente no dia 17 de outubro.

A decisão de esperar o tribunal se manifestar sobre a imposição de medidas cautelares a parlamentares foi fruto de delicada articulação entre o senador Eunício Oliveira e a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo.

Mas a votação de 50 x 21 revelou também o isolamento de Aécio Neves. A maioria preferiu não apoiar uma votação que seria essencialmente vista como esforço para salvar o tucano, afundado na Lava-Jato.

As informações são da coluna Poder em Jogo de O Globo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247