Desconectados: um em cada quatro lares baianos não tem acesso à internet

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta quarta-feira (22), um em cada quatro lares baianos é desconectado - não tem celular nem acesso à Internet; segundo o IBGE, o alto preço dos serviços foi a justificativa dada por 30% dos baianos para não ter acesso à Internet

Pessoa testa Pixel 2, celular do Google, durante evento em San Francisco, Estados Unidos 4/10/2017 REUTERS/Stephen Lam
Pessoa testa Pixel 2, celular do Google, durante evento em San Francisco, Estados Unidos 4/10/2017 REUTERS/Stephen Lam (Foto: Charles Nisz)

Bahia 247 - De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta quarta-feira (22), um em cada quatro lares baianos é desconectado - não tem celular nem acesso à Internet. Para os pesquisadores do IBGE, aqueles que responderam não ter acesso à internet colocaram a culpa nos altos preços dos serviços oferecidos pelos provedores. Essa foi a justificativa de 708 mil lares baianos, o que representa 30% dos motivos para a falta de conexão. Já em todo o país, a razão da maioria foi por pura falta de interesse (34,8%).

Segundo Mariana Viveiros, analista de informações do IBGE, o número de pessoas que reclamam dos altos preços dos serviços pode ter relação com uma pesquisa realizada pelo órgão, em 2016. "A pesquisa realizada apontou que a Bahia é o 4° estado com os menores salários, então, acredito, não deve ser porque, de fato, são caros, mas porque como ganhamos menos, temos a percepção de que esse valor é elevado", acredita a analista. 

O número de residências sem aparelhos fixos e móveis faz com que a Bahia seja o 4° estado com o menor número de aparelhos em domicílios. Cerca de 10% dos 5,2 milhões de domicílios - ou 529 mil residências - não contam com a presença dos aparelhos de ligação. A Bahia empata com o Acre e só fica na frente dos estados do Maranhão (16,6%), Pará (13,3) e Amazonas (11,4%).

As proporções, ainda de acordo com a pesquisa, praticamente se inverteram no estado quando se tratava de telefones celulares: 88,4% dos domicílios baianos - 4,6 milhões em números absolutos- tinham ao menos um aparelho de celular, enquanto 11,6% não tinham.

O cenário pode mudar em 2018. No dia 29 de janeiro, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, apresentou a prefeitos baianos um plano de levar banda larga para escolas, hospitais e localidades sem conectividade, se estendendo também para todo o país.  Antenas serão instaladas gratuitamente nas regiões sem conectividade apontadas pelas prefeituras para distribuir banda larga num raio de 2 km.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247