Detido com arma em ato contra Lula diz que estava 'só passando'

O policial civil Adjalbas Pereira, que foi detido com uma arma na manifestação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Salvador, disse que estava "só passando" pelo local do protesto quando ia a um supermercado; Adjalbas é filiado ao PSC da Bahia e foi candidato a deputado estadual em 2010, quando teve 686 votos e não foi eleito. Segundo ele, ao princípio de confusão, sacou uma arma e apontou para cima para evitar que manifestantes pró-intervenção militar, que eram minoria, fossem agredidos

O policial civil Adjalbas Pereira, que foi detido com uma arma na manifestação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Salvador, disse que estava "só passando" pelo local do protesto quando ia a um supermercado; Adjalbas é filiado ao PSC da Bahia e foi candidato a deputado estadual em 2010, quando teve 686 votos e não foi eleito. Segundo ele, ao princípio de confusão, sacou uma arma e apontou para cima para evitar que manifestantes pró-intervenção militar, que eram minoria, fossem agredidos
O policial civil Adjalbas Pereira, que foi detido com uma arma na manifestação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Salvador, disse que estava "só passando" pelo local do protesto quando ia a um supermercado; Adjalbas é filiado ao PSC da Bahia e foi candidato a deputado estadual em 2010, quando teve 686 votos e não foi eleito. Segundo ele, ao princípio de confusão, sacou uma arma e apontou para cima para evitar que manifestantes pró-intervenção militar, que eram minoria, fossem agredidos (Foto: Aquiles Lins)

Bahia 247 - O policial civil Adjalbas Pereira, que foi detido com uma arma na manifestação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Salvador, disse que estava "só passando" pelo local do protesto quando ia a um supermercado.

Adjalbas Pereira é filiado ao PSC da Bahia. Foi candidato a deputado estadual em 2010, quando teve 686 votos e não foi eleito. Segundo ele, ao princípio de confusão, sacou uma arma e apontou para cima para evitar que manifestante pró-intervenção militar, que eram minoria, fossem agredidos.

A arma de Adjalbas Pereira foi apreendida pela polícia que a encaminhou para o Departamento de Polícia Técnica. Serão realizados exames para identificar se a arma foi usada durante o protesto.

Segundo a Folha de S. Paulo, Adjalbas participou de protestos contra o ex-presidente Lula desde a chegada do petista à estação de metrô em Pituaçu, que fica a 12 km do estádio da Fonte Nova, onde ele foi detido. Em Pituaçu, ele chegou a ser hostilizado por militantes petistas e houve um princípio de confusão.

Além de Aldjalbas, outras três pessoas foram detidas no tumulto em torno da manifestação contra o ex-presidente Lula. Dois deles eram manifestantes pró-intervenção militar e um é sindicalista, membro do Sindicato dos Petroleiros da Bahia.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247