Dia Internacional da Mulher se firma no calendário de eventos

O Dia Internacional da Mulher, oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975,  já se firmou no calendário de eventos do País. Aqui no Ceará, empresas, instituições de ensino, órgãos públicos, poder judiciário, legislativo e movimentos sociais, em todo o Estado, programam atividades alusivas à data. Em Fortaleza, um dos eventos que merece destaque é a divulgação da pesquisa "Mulheres e Mercado de Trabalho na Região Metropolitana de Fortaleza", da STDS/IDT/SEAD/Dieese. Por outro lado, a Coordenadoria de Mulheres do Governo do Estado, que está sem titular, não programou nenhum evento. A Prefeitura de Fortaleza não divulgou ainda programação

O Dia Internacional da Mulher, oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975,  já se firmou no calendário de eventos do País. Aqui no Ceará, empresas, instituições de ensino, órgãos públicos, poder judiciário, legislativo e movimentos sociais, em todo o Estado, programam atividades alusivas à data. Em Fortaleza, um dos eventos que merece destaque é a divulgação da pesquisa "Mulheres e Mercado de Trabalho na Região Metropolitana de Fortaleza", da STDS/IDT/SEAD/Dieese. Por outro lado, a Coordenadoria de Mulheres do Governo do Estado, que está sem titular, não programou nenhum evento. A Prefeitura de Fortaleza não divulgou ainda programação
O Dia Internacional da Mulher, oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975,  já se firmou no calendário de eventos do País. Aqui no Ceará, empresas, instituições de ensino, órgãos públicos, poder judiciário, legislativo e movimentos sociais, em todo o Estado, programam atividades alusivas à data. Em Fortaleza, um dos eventos que merece destaque é a divulgação da pesquisa "Mulheres e Mercado de Trabalho na Região Metropolitana de Fortaleza", da STDS/IDT/SEAD/Dieese. Por outro lado, a Coordenadoria de Mulheres do Governo do Estado, que está sem titular, não programou nenhum evento. A Prefeitura de Fortaleza não divulgou ainda programação (Foto: Fatima 247)

 Uma série de atividades marcam o Dia Internacional da Mulher, no 8 de março. A data que é um marco da luta das mulheres por direitos, se firma a cada ano, no calendário de eventos. Embora nem todas as atividades remetam para discussão dos problemas que ainda afetam a vida cotidiana das mulheres, em particular a violência e a discriminação do mercado de trabalho, entre outras, é importante que se fixe no imaginário coletivo este marco histórico. O mercado já assumiu a data nas suas promoções de marketing. Os órgãos públicos e os movimentos sociais, por outro lado, tratam o tema com mais profundidade.

Amanhã, às 09h, a Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social do Ceará, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho, Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) realiza solenidade para apresentar a pesquisa "Mulheres e Mercado de Trabalho na Região Metropolitana de Fortaleza".  O estudo faz parte da programação anual de estudos que tem a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), como fonte de informação.

Na Assembleia Legislativa, a data será comemorada com uma sessão especial, no dia 09, segunda-feira. A bancada feminina é composta por sete deputadas. A deputada Augusta Brito, do PCdoB, lamenta que a participação feminina na política ainda seja tão pequena, tendo em vista que a mulher representa 51,3% do eleitorado. A deputada Fernanda Pessoa ressalta a importância de serem discutidos temas como combate à violência contra a mulher, saúde e valorização profissional. “Devemos mostrar que viemos para somar com políticas públicas femininas, e não feministas”, observa. Já a deputada Aderlânia Noronha (SD), a primeira mulher a ocupar um cargo na Mesa Diretora, como segunda suplente, disse se sentir muito orgulhosa “de ser a primeira mulher da história a ter assento na Mesa”.

No Tribunal de Justiça do Estado, em parceria com a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, inicia sua programação na sexta-feira (6), prosseguindo até a quarta-feira (13), com palestras, exposições, atendimento estético e médico preventivo e várias palestras ao longo do período. A palestra de abertura será dia 06, sobre o tema “Quando a boca cala, os órgãos falam... Quando a boca fala os órgãos saram”, com o psiquiatra Adalberto Barreto, às 9h30, no Auditório Cardeal Dom Aloísio Lorscheider. Também haverá palestras da Desembargadora Sérgia Miranda, da psicóloga Clarissa Nobre e da Defensora Pública, Mônica Barroso. A programação completa pode ser conferida no link.

Já os movimentos organizados de Fortaleza também preparam extensa programação que tem como ponto principal uma caminhada, sábado(07), no centro de Fortaleza, com concentração na Praça Murilo Borges, a partir das 9 horas, seguindo em direção à Praça do Ferreira. Também haverá uma vigília em defesa do Hospital da Mulher, no dia 06, a partir das l6h.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247