Dilma diz que “teimosia” gerou empregos no Brasil

Em inauguração de plataforma da Petrobras construída na Bahia, presidente afirma que País "está em outro caminho" no combate à  crise internacional; ela elogiou o ex-presidente Lula e se comprometeu a criar "emprego de qualidade"

Dilma diz que “teimosia” gerou empregos no Brasil
Dilma diz que “teimosia” gerou empregos no Brasil (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um dia depois de dizer que um País não pode ser "medido pelo PIB", a presidente Dilma Rousseff voltou a tratar, a seu modo, das questões da economia. Durante cerimônia de batismo da plataforma P-59 da Petrobras, em Maragojipe, na Bahia, ela reafirmou o compromisso do seu governo com o aquecimento da economia.

"Vamos enfrentar desafios para garantir à população emprego de qualidade", disse ela em discursou no qual saudou a "teimosia" do ex-presidente Lula por determinar a construção da plataforma no Brasil. A emoção tomou conta de sua fala. Ela disse ser do tempo "não tão distante" em que se dizia que o Brasil deveria "importar tudo". "Mas nós teimamos, primeiro porque somos capazes sim de construir plataformas, de ter achado o pré-sal e depois de 20 anos estamos construindo a primeira sonda no País. Porque não seríamos capazes de construir uma plataforma?". A presidente prosseguiu: "O mais interessante é que nós fomos a segunda maior indústria naval do mundo, até os anos 80". Referindo-se a Lula, que não estava presente, ela disse que "este brasileiro chamado Lula teimou, teimou que somos capazes sim de construir plataformas e nós, hoje, estamos aqui, depois de uma enormidade de anos, construindo a primeira sonda novamente no Brasil."

Em nova carga emotiva, a presidente avançou:  "Isso é um imenso orgulho, mas sobretudo uma promessa de futuro, o que tem aqui não é só aço, sistema computadorizado, aqui está um caminho de futuro, o fato é que vamos continuar gerando emprego e renda para a população brasileira".

Dilma procurou fazer uma diferenciação entre a posição do Brasil diante da crise financeira global e a dos Estados Unidos e países centrais da Europa. "O Brasil está em outro caminho, o nosso caminho não é igual ao deles (países desenvolvidos)", afirmou. Lembrou que o Brasil "atualmente reparte o bolo", enquanto as nações europeias vivem o desemprego. "Meu governo está atento para garantir que nosso país, diante dessa situação internacional, tenha um desempenho o melhor possível, e saia dessa crise aproveitando oportunidades que sempre uma crise traz", disse Dilma.

Para Dilma, o Brasil irá se "transformar em uma das maiores nações do mundo", pois tem pessoas alegres. "Eu tenho imensa confiança na capacidade do meu povo de enfrentar desafios e encontrar soluções", argumentou, sob aplausos.

Ao lado da presidente da Petrobras, Graça Foster, Dilma elogiou o ex-presidente da estatal Sergio Gabrielli, cuja gestão vem sendo criticada, indiretamente, por Foster. Dilma o chamou de "grande gestor". De acordo com a Petrobras, a P-59 é capaz de perfurar poços em situações de alta pressão e temperatura e alcança até 9.100 metros de profundidade. A companhia investiu cerca de US$ 360 milhões na construção da plataforma.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247