'Dilma joga a conta do ajuste no trabalhador'

Líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE) criticou o veto da presidente ao reajuste do Bolsa Família na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO); "A presidente Dilma desmentiu promessas, como a de que não haveria cortes em programas sociais e de que haveria extinção de cargos no governo para redução de despesas. A promessa de cortar cargos ficou só na promessa. Ela insiste em jogar a conta do ajuste para o trabalhador", postou em sua página no Facebook

Líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE) criticou o veto da presidente ao reajuste do Bolsa Família na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO); "A presidente Dilma desmentiu promessas, como a de que não haveria cortes em programas sociais e de que haveria extinção de cargos no governo para redução de despesas. A promessa de cortar cargos ficou só na promessa. Ela insiste em jogar a conta do ajuste para o trabalhador", postou em sua página no Facebook
Líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE) criticou o veto da presidente ao reajuste do Bolsa Família na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO); "A presidente Dilma desmentiu promessas, como a de que não haveria cortes em programas sociais e de que haveria extinção de cargos no governo para redução de despesas. A promessa de cortar cargos ficou só na promessa. Ela insiste em jogar a conta do ajuste para o trabalhador", postou em sua página no Facebook (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O líder do DEM na Câmara Federal, deputado Mendonça Filho (PE), atacou novamente a presidente Dilma Rousseff (PT) após o veto ao reajuste do Programa Bolsa Família. "A presidente Dilma desmentiu promessas, como a de que não haveria cortes em programas sociais e de que haveria extinção de cargos no governo para redução de despesas. A promessa de cortar cargos ficou só na promessa. Ela insiste em jogar a conta do ajuste para o trabalhador", disparou o parlamentar, neste sábado (2), em sua página no Facebook.

A presidente Dilma sancionou, com mais de 40 vetos, o projeto de lei que dispõe sobre as diretrizes para a execução da Lei Orçamentária de 2016. Publicada em edição extra do Diário Oficial da União, com data de 31 de dezembro de 2015, a lei também define as metas e as prioridades da administração pública federal para este ano.

Um dispositivo vetado foi o parágrafo 10 do artigo 38, segundo o qual o projeto e a lei orçamentária de 2016 contemplarão recursos para o Programa Bolsa Família em valor suficiente para assegurar o reajuste de todos os benefícios financeiros, de acordo com a inflação medida pelo IPCA, acumulada entre maio de 2014 e dezembro de 2015.

O governo justificou o veto dizendo que o dispositivo não encontra comando compatível no Projeto de Lei Orçamentária de 2016 já aprovado pelo Congresso e em fase de sanção. "Assim, se sancionado, o reajuste proposto, por não ser compatível com o espaço orçamentário, implicaria necessariamente o desligamento de beneficiários do Programa Bolsa Família", disse.

Também pelo Facebook, Mendonça Filho disse que "é preciso ter esperança, muita gente está lutando nas ruas, nas redes, no parlamento e nos partidos para construir esse país que queremos". "Vamos juntos numa corrente de fé e ação mudar essa realidade, o força da população é mais forte que qualquer atalho que a presidente Dilma queira tomar. Essa mudança depende de nós", complementou.

Neste semana, pela mesma redes social, o democrata afirmou ter certeza que o processo de impeachment contra Dilma "vai avançar em 2016 e novos tempos possibilitarão que nosso País saia desta crise".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247