Dislike em massa: Moro é atacado por bolsonaristas em sua estreia na revista Cruzoé e vídeo tem 180 mil reações negativas

Apoiadores de Jair Bolsonaro boicotaram um vídeo publicado no Youtube pela equipe da revista Crusoé para divulgar a estreia do ex-ministro Sergio Moro como colunista. O post intitulado "Sergio Moro estreia coluna na Crusoé" já soma mais de 185 mil reações negativas e apenas 15 mil curtidas

Sérgio Moro
Sérgio Moro (Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A estreia do ex-ministro Sergio Moro como colunista na revista Cruzoé teve tons melodramáticos. Bolsonaristas invadiram em massa a publicação e deixaram marcadas suas reações negativas com uma enxurrada de dislikes. 

A reportagem do jornal O Globo destaca que o “levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (DAPP/FGV) publicado no início do mês pelo Sonar mostrou que, após ter deixado o governo no fim de abril, o ex-titular da Justiça e Segurança Pública está isolado nas redes sociais, sobretudo no Twitter, enquanto seus posicionamentos enfrentam questionamentos de usuários alinhados à esquerda do espectro político e não conseguem ampliar o engajamento de Moro entre pessoas posicionadas ao centro.”

A matéria ainda informa que “nas imagens publicadas na última sexta-feira, alvo da campanha bolsonarista, Moro comenta o primeiro texto de sua coluna, intitulado "Honra e fuzis". Nos comentários, o tema foi pouco abordado entre os usuários. A maioria das mensagens diz respeito à campanha para reagir ao vídeo com milhares de impressões negativas.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247