Disputa entre PSDB e oposição tem novo round

PSDB recorre à Justiça contra carta de PT e PMDB – classificada de golpista – que questionava governabilidade de Marconi Perillo; disputa promete novos capítulos nos próximo dias; partidos acusam tucanos de intimidação; PSDB responde que carta tinha argumentos que afrontam a Constituição

Disputa entre PSDB e oposição tem novo round
Disputa entre PSDB e oposição tem novo round (Foto: Divulgação)

Goiás 247_ Há expectativa no meio político goiano em torno das próximas ações de PMDB e PT em relação ao governo do Estado. Os dois partidos assinaram uma carta que foi publicada no jornal O Popular em que contestavam o atual governo e questionavam sua governabilidade. Partidos da base aliada do governo, secretários e auxiliares taxaram a carta de golpista. Entidades civis e empresariais também manifestaram apoio ao governo estadual. E até a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Secção Goiás, numa espécie de resposta indireta aos partidos da oposição criticou a carta.

A última reação de PMDB e PT questionar as ações dos secretários do governo de Goiás, que resolveram entrar na Justiça contra o teor da carta, considerada golpista por advogados e demais operadores do direito. Aliados do govenador Marconi Perillo entenderam que era um texto perigoso para a democracia. A resposta de Marconi quanto dos secretários foi buscar amparo na Justiça.

Integrantes do PMDB e PT dizem que os agentes públicos tucanos querem intimidar opositores na Justiça. Os secretários que acionaram os dois partidos, ao contrário, afirmam que a honra afetada pela difamação e o próprio conteúdo guardam ataques contra a ordem constitucional do país, regulamentada na Carta de 1988.

Esta semana promete mais embates entre os dois grupos. O ex-prefeito Iris Rezende teria confidenciado para integrantes do PMDB que pretende acionar na Justiça os tucanos que citaram seu nome em reportagens. É que a carta do PMDB não traz assinatura, mas os tucanos supõem quem esteja por trás das linhas. "Até por conta dos erros de português contidos no manifesto", diz um dos secretários.

Juristas informam que a carta peemedebista-petista apresenta erros jurídicos graves, pois desconsidera os princípios do Estado Democrático de Direito contidos já no artigo primeiro da Constituição, o que enseja uma série de ações contra os autores.

Apesar de acusar Marconi Perillo e os secretários de governo de improbidade, nenhuma decisão judicial foi tomada contra o governador de Goiás. Inexiste processo contra o governador por conta do episódio da operação Monte Carlo, por exemplo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247