Djalma quer instalar CEI do Transporte Coletivo

Vereador Djalma Araújo entregou requerimento para instalar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) destinada a investigar o serviço público do transporte coletivo da Capital; na véspera do Carnaval, o valor da passagem passou de R$ 2,80 para R$ 3,30, sem aviso prévio aos usuários; as empresas alegam que estavam tendo prejuízos financeiros e se o reajuste não fosse feito o sistema entraria em colapso; Ministério Público quer a volta do preço de R$ 2,80, mas o novo valor ainda está sendo cobrado

Vereador Djalma Araújo entregou requerimento para instalar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) destinada a investigar o serviço público do transporte coletivo da Capital; na véspera do Carnaval, o valor da passagem passou de R$ 2,80 para R$ 3,30, sem aviso prévio aos usuários; as empresas alegam que estavam tendo prejuízos financeiros e se o reajuste não fosse feito o sistema entraria em colapso; Ministério Público quer a volta do preço de R$ 2,80, mas o novo valor ainda está sendo cobrado
Vereador Djalma Araújo entregou requerimento para instalar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) destinada a investigar o serviço público do transporte coletivo da Capital; na véspera do Carnaval, o valor da passagem passou de R$ 2,80 para R$ 3,30, sem aviso prévio aos usuários; as empresas alegam que estavam tendo prejuízos financeiros e se o reajuste não fosse feito o sistema entraria em colapso; Ministério Público quer a volta do preço de R$ 2,80, mas o novo valor ainda está sendo cobrado (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O vereador Djalma Araújo (SDD) entregou, na quarta-feira (25), na Câmara Municipal requerimento para instalar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) destinada a investigar o serviço público do transporte coletivo da Capital.

São necessárias doze assinaturas de vereadores para que a Comissão seja instalada, mas a vereadora Marta Jane, do PCB, foi a primeira a assinar o documento. A CEI é composta por sete membros titulares e três suplentes e pode funcionar pelo prazo de 120 dias, prorrogáveis com a finalidade de apurar “as distorções, irregularidades e ilegalidades no funcionamento do transporte público”, frisou Araújo.

O vereador lembrou ainda que, “em pleno período carnavalesco”, a Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC), juntamente com as empresas concessionárias, aumentaram a tarifa, “sem maiores explicações, tornando as passagens do transporte coletivo de Goiânia uma das mais caras do País”. Ele quer igualmente que a CEI fiscalize as planilhas usadas para majorar as tarifas. “O goianiense paga uma tarifa abusiva por um transporte de péssima qualidade”, enfatizou.

Na véspera do Carnaval, o valor da passagem passou de R$ 2,80 para R$ 3,30, sem aviso prévio aos usuários. As empresas alegam que estavam tendo prejuízos financeiros e se o reajuste não fosse feito o sistema entraria em colapso. O Ministério Público quer a volta do preço de R$ 2,80, mas o novo valor ainda está sendo cobrado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247