Donizeti destaca avanço do Brasil na COP 21

Integrando a comitiva de senadores brasileiros que participaram das discussões da COP 21, o senador Donizet Nogueira (PT-TO) destacou o documento final traz a "consciência coletiva de que a situação exige enfrentamento por parte de todos"; para Donizeti, o Brasil apresentou metas ambiciosas, mas possíveis de serem cumpridas; "É preciso ter consciência de que precisamos dar continuidade ao desenvolvimento de forma sustentável e criarmos uma nova relação de consumo. Assim teremos qualidade de vida para todos os brasileiros", afirmou

Integrando a comitiva de senadores brasileiros que participaram das discussões da COP 21, o senador Donizet Nogueira (PT-TO) destacou o documento final traz a "consciência coletiva de que a situação exige enfrentamento por parte de todos"; para Donizeti, o Brasil apresentou metas ambiciosas, mas possíveis de serem cumpridas; "É preciso ter consciência de que precisamos dar continuidade ao desenvolvimento de forma sustentável e criarmos uma nova relação de consumo. Assim teremos qualidade de vida para todos os brasileiros", afirmou
Integrando a comitiva de senadores brasileiros que participaram das discussões da COP 21, o senador Donizet Nogueira (PT-TO) destacou o documento final traz a "consciência coletiva de que a situação exige enfrentamento por parte de todos"; para Donizeti, o Brasil apresentou metas ambiciosas, mas possíveis de serem cumpridas; "É preciso ter consciência de que precisamos dar continuidade ao desenvolvimento de forma sustentável e criarmos uma nova relação de consumo. Assim teremos qualidade de vida para todos os brasileiros", afirmou (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - O senador Donizeti Nogueira (PT-TO) encerrou sua participação na 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21) na sexta-feira, 11. Acompanhado da comitiva de parlamentares brasileiros, formada pelo presidente da Comissão Mista de Mudanças Climáticas, senador Fernando Bezerra (PSB-PE), pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e dos deputados federais Sarney Filho (PV-MA), Evandro Gussi (PV-SP) e do ex-deputado, Alfredo Sirkis, o senador tocantinense participou de duas importantes reuniões antes de retornar ao Brasil.

Os parlamentares se reuniram com um grupo de parlamentares alemães para debater a redução de emissão de gases do efeito estufa aliada à produção de alimentos. O Brasil hoje tem capacidade de dobrar sua produção de grãos e triplicar a produção de carnes, sem desmatamento, graças ao desenvolvimento tecnológico, que possibilita a recuperação de áreas degradadas.

A comitiva brasileira também esclareceu os avanços conquistados com o novo Código Florestal, que estabelece importantes ferramentas para evitar o avanço do desmatamento como o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e os Planos de Recuperação Ambiental. Outro avanço apresentado aos alemães é a opção do governo Dilma de criar o Plano Nacional de Recuperação da Vegetações Nativas (Planaveg), que tem como objetivo reflorestar 12,5 milhões de hectares de florestas, além da criação do monitoramento e controle sistemático de todos os biomas brasileiros.

Questionado pelos parlamentares alemães sobre a produção de alimentos transgênicos, como a soja e seu uso para alimentação de animais, os brasileiros informaram que o Brasil tem condições de aumentar a produção de alimentos orgânicos, havendo aumento da demanda do mercado consumidor. "Os brasileiros, hoje, mais têm consciência da importância de uma produção sustentável e tem consumido mais alimentos orgânicos. Isso é importante porque com o aumento do consumo, os preços diminuem e mais pessoas terão acesso a uma alimentação mais saudável", destacou o senador Donizeti Nogueira.

Avaliação final

Antes de retornar ao Brasil, a comitiva de parlamentares se reuniu com a delegação brasileira que participou da COP-21 para avaliação do texto final e das Contribuições Nacionalmente Determinadas Pretendidas (iNDC) apresentadas pelo Brasil.

O documento, assinado por 195 países após a negociação entre chefes de Estado, ministros da área e diplomatas, não supre completamente a necessidade do planeta e terá um custo de US$ 1,5 trilhões. Se toda as iNDCs apresentadas forem cumpridas, ainda teremos um déficit de 12 milhões de toneladas de emissões de gases poluentes.

Para o senador Donizeti Nogueira, a diferença dessa conferência é que existe uma consciência coletiva de que a situação exige enfrentamento por parte de todos. O Brasil apresentou metas ambiciosas, mas o parlamentar petista acredita que conseguiremos cumpri-las. "É preciso ter consciência de que precisamos dar continuidade ao desenvolvimento de forma sustentável e criarmos uma nova relação de consumo. Assim teremos qualidade de vida para todos os brasileiros", finalizou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email