Doria considera “injusta” homenagem a Marisa Letícia

Segundo o prefeito João Doria (PSDB), o projeto que dá o nome da ex-primeira-dama a um viaduto é "injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício"; o projeto foi sancionado em 29 de dezembro pelo prefeito em exercício, Milton Leite (DEM), enquanto Doria estava em viagem; o tucano disse que irá respeitar a decisão da Câmara Municipal

Segundo o prefeito João Doria (PSDB), o projeto que dá o nome da ex-primeira-dama a um viaduto é "injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício"; o projeto foi sancionado em 29 de dezembro pelo prefeito em exercício, Milton Leite (DEM), enquanto Doria estava em viagem; o tucano disse que irá respeitar a decisão da Câmara Municipal
Segundo o prefeito João Doria (PSDB), o projeto que dá o nome da ex-primeira-dama a um viaduto é "injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício"; o projeto foi sancionado em 29 de dezembro pelo prefeito em exercício, Milton Leite (DEM), enquanto Doria estava em viagem; o tucano disse que irá respeitar a decisão da Câmara Municipal (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), vai respeitar a escolha da Câmara dos Vereadores em batizar um novo viaduto da capital com nome de Dona Marisa Letícia. No entanto, a administração municipal considera "injusta" a homenagem à mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morta em fevereiro de 2017 após um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Em nota, a Prefeitura destacou que a escolha do nome do viaduto, construído na Zona Sul da cidade, é prerrogativa da Câmara Municipal e resultou de um acordo entre a maioria dos vereadores. "E apenas por isso (o nome será) respeitado pela administração municipal", frisou a assessoria. Doria cancelou o evento de inauguração do viaduto, previsto para 3 de janeiro. A via, que liga a estrada do M’Boi Mirim à avenida Luiz Gushiken, no bairro Santo Amaro, será aberta ao trânsito a partir desta terça-feira (2).

Segundo Doria, o projeto é "injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício". Apresentado pela bancada do PT após a morte da companheira de Lula, o projeto foi sancionado em 29 de dezembro pelo prefeito em exercício, Milton Leite (DEM) - Doria estava em viagem.

Leia a nota da Prefeitura de São Paulo na íntegra:

"Por determinação do prefeito João Doria, a Prefeitura de São Paulo cancelou o evento de inauguração do Viaduto do M’Boi Mirim previsto para dia 3 de janeiro. A via será aberta ao trânsito a partir desta terça-feira, dia 2 de janeiro. A Prefeitura esclarece ainda que a escolha do nome do viaduto é prerrogativa da Câmara Municipal e fruto de um acordo entre a maioria dos vereadores — e apenas por isso respeitado pela administração municipal, apesar da discordância do prefeito em relação à injusta homenagem prestada a alguém envolvido no maior escândalo de corrupção já registrado no país e que nunca morou na cidade nem jamais lhe trouxe qualquer benefício".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247