Doria culpa PT, e não suas viagens inúteis, por queda em pesquisa

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), incapaz de assumir sua responsabilidade pela má-gestão à frente da Prefeitura de São Paulo, resolveu culpar seu antecessor, Fernando Haddad, pelo seu fiasco no Palácio Anchieta; o tucano despencou quase dez pontos percentuais na aprovação de sua administração: o prefeito tem 32% de aprovação, contra 41% registrados em junho

Brasília - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria Junior, durante entrevista coletiva após encontro com o presidente Michel Temer (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria Junior, durante entrevista coletiva após encontro com o presidente Michel Temer (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - Em vez de assumir a responsabilidade pela má-gestão em São Paulo, o prefeito João Doria (PSDB) atribuiu às dificuldades financeiras da Prefeitura de São Paulo a queda na aprovação registrada pela mais recente pesquisa Datafolha. Doria resolveu culpar a gestão de Fernando Haddad (PT), seu antecessor e não as suas viagens pelo Brasil pelo tombo na popularidade.

"É importante respeitar pesquisa, eu respeito pesquisa. Estamos com nove meses de gestão à frente da Prefeitura de São Paulo, sem recursos. Temos R$ 7,5 bilhões de deficit no orçamento da prefeitura [em relação à receita prevista pela gestão anterior]. Que foi herança do PT, que nos deixou esse rombo", disse Doria ao jornal Folha de S. Paulo.

O tucano despencou quase dez pontos percentuais na aprovação de sua administração. Segundo o levantamento publicado neste domingo (8), o prefeito tem 32% de aprovação, 26% de rejeição e 40% de avaliação regular entre os paulistanos. Há quatro meses, Doria pontuava 41% de ótimo/bom, 22% de ruim/péssimo e 34% de regular.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247