Doria demite prefeito regional que reclamou de falta de recursos

O prefeito João Doria demitiu nesta quarta-feira o prefeito regional Paulo Cahim, que reclamou publicamente da falta de recursos para limpar um piscinão e disse que a sua região, na zona norte da capital, pode ser afetada por enchentes nos próximos meses; em nota, a gestão Doria informou que Cahim "será exonerado nesta quinta-feira do cargo de prefeito regional da Casa Verde/Cachoeirinha por ter demonstrado conformismo diante das dificuldades, em lugar de empenho e criatividade na superação dos desafios, como exige a atual administração municipal de seus colaboradores"

Brasília - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria, se reúne com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - O prefeito eleito de São Paulo, João Doria, se reúne com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Forum - O prefeito regional Paulo Cahim (Casa Verde/Cachoeirinha) reclamou publicamente da falta de recursos para limpar um piscinão e disse que a sua região, na zona norte da capital, pode ser afetada por enchentes nos próximos meses. Ao invés de resolver a situação, nesta quinta-feira (15), o prefeito João Doria (PSDB) demitiu o auxiliar.

Em nota, a gestão Doria informou que Cahim "será exonerado nesta quinta-feira (16) do cargo de prefeito regional da Casa Verde/Cachoeirinha por ter demonstrado conformismo diante das dificuldades, em lugar de empenho e criatividade na superação dos desafios, como exige a atual administração municipal de seus colaboradores".

A queixa foi feita durante uma reunião da Comissão de Finanças da Câmara Municipal na zona norte, no sábado, 11, e revelada nesta quarta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. "Me desculpem. Eu não sei qual é a força que eu posso representar nisso. Porque se não tivermos a força política e a visão de gestão, nós vamos ter muito problema com as enchentes em janeiro", afirmou Cahim à plateia, segundo a Folha.

Segundo a administração tucana, a limpeza do piscinão Guaraú, mencionado por Cahim na reunião, foi afetada pela suspensão do pregão para contratação do serviço determinada pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). De acordo com a gestão Doria, "os problemas apontados serão corrigidos e o desassoreamento do local será realizado até dia 15 de dezembro".

Ao Estado, Cahim disse nesta quarta-feira (15) que o assunto está "superado" com a sua exoneração. "Foi apenas uma divergência em relação ao orçamento. O que eu disse na reunião foi uma compreensão da dificuldade que nós passamos nas prefeituras regionais. Não é um caso isolado. Como já fui exonerado, é uma matéria superada. É um direito (demiti-lo) que prefeito tem e eu acato", disse.

Advogado de 61 anos, Cahim é filiado ao PSDB e foi presidente do partido na região onde atua. No cargo de prefeito regional de Casa Verde/Cachoeirinha desde o início da gestão, ele nomeado pelo vice-prefeito e secretário da Casa Civil, Bruno Covas, por indicação do deputado federal Ricardo Trípoli e do suplente de senador José Aníbal, ambos do PSDB.

Em fevereiro deste ano, Doria já havia ameaçado demitir funcionários da gestão que reclamassem publicamente de falta de recursos ou estrutura.

Na ocasião, o Estado noticiou a queixa dos prefeitos regionais Edson Marques (São Miguel) e Benedito Mascarenhas (Vila Mariana), que disseram "fingir" que trabalham e "enxugar gelo" dentro das prefeituras regionais. "Na próxima, serão demitidos", reagiu Doria, publicamente.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247