Doria demite secretário do Verde por pressão das grandes construtoras

Gilberto Natalini (PV) é o quarto secretário demitido pelo prefeito paulistano João Doria em pouco mais de sete meses de gestão; pressão das grandes construtoras, conflito entre o secretário e o vereador em questões técnicas sobre o meio ambiente na capital paulista e a entrada do PR na base aliada do prefeito foram determinantes para a demissão do Secretário do Verde; novo partido aliado deve ganhar ao todo quatro secretarias

Gilberto Natalini (PV) é o quarto secretário demitido pelo prefeito paulistano João Doria em pouco mais de sete meses de gestão; pressão das grandes construtoras, conflito entre o secretário e o vereador em questões técnicas sobre o meio ambiente na capital paulista e a entrada do PR na base aliada do prefeito foram determinantes para a demissão do Secretário do Verde; novo partido aliado deve ganhar ao todo quatro secretarias
Gilberto Natalini (PV) é o quarto secretário demitido pelo prefeito paulistano João Doria em pouco mais de sete meses de gestão; pressão das grandes construtoras, conflito entre o secretário e o vereador em questões técnicas sobre o meio ambiente na capital paulista e a entrada do PR na base aliada do prefeito foram determinantes para a demissão do Secretário do Verde; novo partido aliado deve ganhar ao todo quatro secretarias (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - Pressão das grandes construtoras e a necessidade de acomodar o PR no secretariado derrubaram o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Gilberto Natalini (PV), o quarto a deixar o secretariado do prefeito João Doria (PSDB) em pouco mais de sete meses.

Demitido pelo prefeito, Natalini deixa o cargo na próxima terça-feira (22) e reassume o mandato de vereador na Câmara Municipal. Doria afirmou que "tem profundo respeito, admiração e amizade pessoal com Natalini", mas não comentou a demissão.

Um dos atritos do secretário com o governo paulistano envolve o licenciamento ambiental de empreendimentos na cidade, sob o guarda-chuva da Secretaria do Verde, segundo reportagem do Estado de S.Paulo. Natalini denunciou à Controladoria-Geral do Município (CGM) a existência de fraudes nas licenças para viabilizar edificações em desacordo com a lei.

A medida teria desagradado empresas do setor imobiliário. Questionado por Natalini, Doria respondeu que o caso seria apurado pelo novo controlador. A procuradora-geral do município, Laura Mendes, foi demitida ontem por Doria.

Outro fator que pesou para a queda de Natalini foi o fato de o prefeito querer abrir espaço no secretariado para outros partidos aliados, tanto o PSB, quanto o PR, partido com quatro vereadores na Câmara. Além do Verde, o PR pode receber as secretarias de Esporte, Assistência Social e Trabalho e Empreendedorismo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247