Doria é hostilizado em bloco e diz que foliões eram da ‘turma do Lula’

O prefeito de São Paulo, João Doria, foi hostilizado por foliões ao chegar ao bloco de carnaval Pasmadinho, no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista; ao se aproximar de um jovem que falava "Fora Doria", o prefeito ironizou afirmando “Viva o Lula, viva o José Dirceu, viva o PT, viva a corrupção"; o folião (foto) respondeu: "Não tem nada a ver o Lula. O problema é você", disse; Doria foi recebido aos gritos de "fora Doria", "viva o grafite", "prefeito cinza" e "viva o Haddad"; assista

O prefeito de São Paulo, João Doria, foi hostilizado por foliões ao chegar ao bloco de carnaval Pasmadinho, no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista; ao se aproximar de um jovem que falava "Fora Doria", o prefeito ironizou afirmando “Viva o Lula, viva o José Dirceu, viva o PT, viva a corrupção"; o folião (foto) respondeu: "Não tem nada a ver o Lula. O problema é você", disse; Doria foi recebido aos gritos de "fora Doria", "viva o grafite", "prefeito cinza" e "viva o Haddad"; assista
O prefeito de São Paulo, João Doria, foi hostilizado por foliões ao chegar ao bloco de carnaval Pasmadinho, no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista; ao se aproximar de um jovem que falava "Fora Doria", o prefeito ironizou afirmando “Viva o Lula, viva o José Dirceu, viva o PT, viva a corrupção"; o folião (foto) respondeu: "Não tem nada a ver o Lula. O problema é você", disse; Doria foi recebido aos gritos de "fora Doria", "viva o grafite", "prefeito cinza" e "viva o Haddad"; assista (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O prefeito de São Paulo, João Doria, foi hostilizado por foliões neste sábado (25) ao chegar ao bloco de carnaval Pasmadinho, no bairro de Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista.

Ao se aproximar de um jovem que falava "Fora Doria", o prefeito ironizou afirmando “Viva o Lula, viva o José Dirceu, viva o PT, viva a corrupção". O folião respondeu: "Não tem nada a ver o Lula. O problema é você", disse. Segundo o tucano, os foliões era da "turma do Lula".

Doria foi recebido aos gritos de "fora Doria", "viva o grafite", "prefeito cinza" e "viva o Haddad". O atual chefe do executivo viu um folião usar um rolo de pintor, para jogar tinta em uma fantasia de muro pichado usado por uma moça.

Depois de hostilizado, o tucano ficou menos tempo que o esperado e foi embora. Ele ficou no Pasmadinho por cerca de meia hora, apenas.

"Faz parte. Tudo é carnaval, faz parte. Eu respeito muito o pessoal do PT, os lulistas e os dilmistas, não tem problema nenhum, faz parte do jogo", disse Doria.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247