Dudu “passa a mão” e Isaltino pede desculpas

Secretrio pego na Operao Lei Seca perdoado pelo governador Eduardo Campos, que garante sua permanncia frente da Secretaria de Transporte do Estado; o auxiliar explicou o ocorrido e pediu desculpas pblicas

Dudu “passa a mão” e Isaltino pede desculpas
Dudu “passa a mão” e Isaltino pede desculpas (Foto: Andréa Rêgo Barros/247 e Divulgação)

Raphael Coutinho_PE247 – Após ser parado em uma blitz da Operação Lei Seca, durante a madrugada da última segunda-feira (30), e ter se negado a fazer o teste do bafômetro, o secretário de Transportes de Pernambuco, Isaltino Nascimento (PT), passou por momentos delicados, sobretudo porque estava dirigindo um veículo oficial locado pela Assembleia Legislativa, de onde encontra-se licenciado. Na tentativa de diminuir a tensão sobre si, o petista divulgou uma nota com esclarecimentos do episódio. Antes, o governador Eduardo Campos (PSB) perdoou o auxiliar, descartando a possibilidade de afasta-lo de suas funções.

Em sua nota, Isaltino Nascimento pede desculpas publicamente, reitera a importância do trabalho realizado pela ação e da atuação dos agentes da lei.

O secretário assegura, em seu texto, que “encontrava-se na sua residência e foi chamado, às pressas, para buscar sua filha de três anos, que inicialmente iria dormir na casa da avó, em Boa Viagem, e tendo acordado assustada chorava sem consolo chamando pelos pais. Quando retornava para casa foi parado na blitz. No momento da abordagem sua esposa estava sentada no banco de trás com a filha, que só aceitava o consolo da mãe”.

Ainda de acordo com o documento divulgado na imprensa, Isaltino não realizou o teste do bafômetro por ter informado antecipadamente aos guardas que, mesmo em pouca quantidade, havia ingerido álcool e “entregou, sem resistência, sua carteira de motorista para retenção, bem como forneceu os dados para o lavramento do auto de infração”. Outra informação colocada na nota é que o veículo que ele conduzia não é nem poderia ser locado pela Assembleia Legislativa, uma vez que se encontra licenciado do cargo de deputado estadual. Também não é disponibilizado pelo Governo do Estado, sendo custeado com seus próprios recursos.

Na explicação do governador Eduardo Campos, o socialista destaque que Isaltino “cometeu um ato como qualquer cidadão comum”. ”Ele não pode ser discriminado por ser um secretário”, pontuou.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247