Durval Ângelo: Reforma política aumenta crise de representação

O líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas, deputado Durval Ângelo, criticou a implementação do “Distritão” prevista na reforma política em tramitação no Congresso; “O que estamos vendo hoje é uma reforma eleitoral, não política. São questões pontuais. Essa reforma piora o modelo, vai gerar um aumento na crise da representação”, afirma; deputada Rosângela Reis (Pros) disse que “o ‘Distritão’ acaba beneficiando os grandes partidos. Na hora da composição das bancadas dentro das câmaras e assembleias, o contraponto vai ser menor, com os partidos menores sendo prejudicados”

Durval Ângelo (deputado estadual PT/MG)
Durval Ângelo (deputado estadual PT/MG) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas, deputado Durval Ângelo, criticou a implementação do “Distritão” prevista na reforma política em tramitação no Congresso Nacional. “O que estamos vendo hoje é uma reforma eleitoral, não política. São questões pontuais. Essa reforma piora o modelo, vai gerar um aumento na crise da representação”, afirma.

O parlamentar também afirmou que “o financiamento público é correto, mas temos que deixar claro que os valores propostos são absurdamente altos. O ideal seria que tirássemos de emendas parlamentares para fazer esse financiamento público”.

A deputada Rosângela Reis (Pros) disse que o projeto da reforma prejudicará os partidos menores. “O ‘Distritão’ acaba beneficiando os grandes partidos. Na hora da composição das bancadas dentro das câmaras e assembleias, o contraponto vai ser menor, com os partidos menores sendo prejudicados”, acrescentou. As entrevistas foram publicadas no jornal Hoje em Dia.

Posição diferente é a do líder do PSDB na Assembleia Legislativa (ALMG), deputado Gustavo Valadares. “O modelo atual está falido e uma reforma precisa ser feita. Como a regra seria para todo mundo, o que vão mudar são os valores e a colocação de nomes mais viáveis para ganhar as eleições”, afirma.

De acordo com o tucano, as mudanças facilitariam a adoção do que, segundo ele, seria o sistema político ideal. “O caminho é o sistema distrital misto. Aí sim, com o acréscimo do valor do fundo partidário, faríamos uma transição que não seria tão ruim, já pensando no modelo que seria no futuro”, diz Valadares.


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email