É equívoco ala do PSDB se aproximar de Bolsonaro, diz ex-ministro de FHC

Ex-secretário de Direitos Humanos e ex-ministro da Justiça no governo de Fernando Henrique Cardoso, José Gregori acha um erro a aproximação de alas do PSDB com Jair Bolsonaro (PSL); “Isso é um equívoco. O grande sucesso do PSDB e sua justificativa histórica foi sua trajetória de trabalhar pela desradicalização do Brasil”, afirmou; para ele, “Desde o momento que se soube da existência do Bolsonaro, ficou claro que ele é contra a nossa visão de democracia”

É equívoco ala do PSDB se aproximar de Bolsonaro, diz ex-ministro de FHC
É equívoco ala do PSDB se aproximar de Bolsonaro, diz ex-ministro de FHC
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 – O ex-secretário de Direitos Humanos e ex-ministro da Justiça no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSD), o jurista José Gregori, um dos fundadores do PSDB, considera um grande erro a aproximação de alas do partido com Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL.

“Isso é um equívoco. Minha posição é diametralmente oposta. O grande sucesso do PSDB e sua justificativa histórica foi sua trajetória de trabalhar pela desradicalização do Brasil. Fernando Henrique sempre foi um moderador, um homem do diálogo. Enquanto não se fecham as urnas, é precipitação. O resultado da eleição está aberto. O PSDB deve mostrar a vantagem da via que oferece ao povo, que é o Geraldo Alckmin”, avalia.

Gregori disse ainda, de acordo com reportagem do Estado de São Paulo, que “Desde o momento que se soube da existência do Bolsonaro, ficou claro que ele é contra a nossa visão de democracia”.


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247